Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

FC Porto pagou a empresa ligada ao narcotráfico

Transferências de jogadores denunciadas por site mexicano.
Leonel Lopes Gomes 16 de Março de 2016 às 19:18
Jackson Martínez tem 28 anos
Jackson Martínez tem 28 anos FOTO: Fernando Veludo/EPA
A empresa mexicana Grupo Comercializador Concláv, ligado ao cartel de droga mexicano de Juárez, participou nas transferências para o FC Porto do avançado Jackson Martínez (contratado ao Jaguares) e dos defesas Quiñones (resgatado ao Deportivo Cali) e Diego Reyes (que pertencia aos quadros do América). A informação é revelada pelo site mexicano Aristegui Noticias, que garante que o clube português terá pago à firma em questão comissões em negócios de jogadores no México

A empresa estava representada por Rodolfo David Dávila Córdoba, que era responsável pelas finanças dos Carrillo Fuentes, família que controla o cartel mencionado na investigação. Rodolfo, diz o jornal, terá recebido dinheiro pela intermediação destes negócios. A mesma fonte sublinha, ainda, que o FC Porto não teria forma de saber da participação do cartel na Concláv.

A notícia do site mexicano menciona que a empresa vem referida nas contas do clube, o que, de facto, se verifica. O relatório e contas da SAD portista de 2013/2014 diz que "No exercício findo em 30 de Junho de 2013, os serviços de intermediação foram prestados pelas entidades (...) Grupo Comercializador Conclave S.A.(...)". As contas da SAD mostram que Martinez foi comprado por 9,6 milhões de euros, tendo o clube gasto 750 mil euros em "despesas adicionais". Valor que sobe para 2 milhões de euros no caso de Reyes, cujo valor total da compra ascendeu a 9 milhões de euros. Quiñones custou aos portistas cerca de 2 milhões de euros, tendo o clube pago 100 mil euros das tais "despesas adicionais".

Nessa época, a SAD diz ter gasto quase cinco milhões de euros com intermediários compra de jogadores e mais 2,5 milhões na negociação de contratos: "Os encargos com serviços de intermediação nas aquisições de passes de jogadores acima referidos realizados nos exercícios findos em 30 de Junho de 2014 e 2013, bem como na negociação e renegociação dos contratos de trabalho com jogadores, ascenderam a um total de 4.829.328 Euros e 2.539.120 Euros, respectivamente". 

No caso de Reyes, atualmente a jogar por empréstimo dos Dragões na Real Sociedad, a empresa que intermediou o negócio entre o clube português e o Grupo Comercializador Concláv foi a Northfields Sports, também mencionada no relatório e contas da SAD portista.

O negócio que levou Jackson aos azuis e brancos foi intermediado pelo agente mexicano Guillermo Lara, que estava envolvido em operações ligadas ao Cartel de Juárez, avança o site Aristegui Noticias
Quiñones Jackson Martínez Diego Reyes FC Porto desporto futebol
Ver comentários