Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

FC Porto de mão-cheia a agarrar o título com vitória frente ao Belenenses

Marega e Telles alargaram para 3-0. Fábio Vieira e Díaz fecharam com chave de ouro. Águia a 6 pontos. O campeonato também.
Sérgio Pereira Cardoso 6 de Julho de 2020 às 01:30
FC Porto vence o Belenenses por 5-0 no Dragão
FC Porto vence o Belenenses por 5-0 no Dragão FOTO: Peter Spark
Em fuga e cheio de gás. O FC Porto deu chapa cinco ao Belenenses SAD e voltou a deixar o Benfica a seis pontos de distância, os mesmos que separam os dragões da conquista de um título cada vez mais provável. Soares, Marega, Telles, o miúdo Fábio Vieira e Díaz (que golaço!) marcaram num triunfo de barriga cheia que, já agora e como nota matemática, afasta de forma oficial e contabilística o Sporting do primeiro lugar.

Ainda faltava muito para o apito inicial e já sobravam motivos de interesse. A ficha de jogo trazia o regresso de Sérgio Oliveira no lugar de Danilo e, no Belenenses SAD, sete mudanças e uma inusitada ausência de guarda-redes suplente. Restava rezar para que nenhum azar acontecesse a Koffi.

E por falar em Koffi, começou bem sonolento o encontro, acabando por ser o Belenenses SAD a entrar melhor, organizado numa linha defensiva de 5, mas sem medo de procurar a felicidade. Edi Semedo (13’) falhou o alvo por pouco e Nuno Coelho(19’) também assustou.

Depois de 20 minutos sem velocidade na circulação - Conceição não demoraria a enviar suplentes para o aquecimento -, o FC Porto levou os avisos a sério e começou a acelerar processos. Marega e Soares iam-se atrapalhando e era Sérgio Oliveira quem mais visava o alvo com o seu fortíssimo pé direito.

Não foi pelo chão, foi pelo Soares. Jogada de insistência e cruzamento perfeito de Otávio (6ª assistência na Liga), com o brasileiro a faturar de cabeça. Oitavo golo do avançado na Liga - já não marcava há 12 jogos.

Minutos depois, Uribe ainda aumentou a vantagem, mas tocou a bola com o braço e o golo foi anulado, mantendo-se a vantagem mínima para os serviços também mínimos dos pupilos azuis-e-brancos.

E o intervalo tudo mudou. O FC Porto surgiu cheio de força e a turma de Petit nunca conseguiu soltar-se das amarras. Numa metáfora para a fuga dos dragões na classificação, Marega correu para a glória, a passe de Corona, e fez o 2-0 do descanso. Descanso que é como quem diz. A equipa de Conceição manteve o pé no acelerador e Díaz sofreu um penálti claro para Telles fazer o 3-0.

Só que o melhor ainda estava para vir. O miúdo Fábio Vieira fez o quarto na conversão de um livre e Díaz, outra vez ele, num bilhete de fora da área a fazer a mão-cheia do dragão que dificilmente não agarrará o título.

Fim de jejum para Soares
Marchesín – Uma parada segura a remate de Marco Matias. De resto, noite calma.
Manafá – Boa primeira parte, com várias descidas e cruzamentos que os avançados desperdiçaram.
Mbemba – Sem referências para marcar, esteve sempre seguro. Competente.
Pepe – Jogo sem sobressaltos do veterano portista.
Telles – Sem problemas a defender, mas também não foi lá à frente desequilibrar. Voltou a marcar de penálti.
Sérgio Oliveira – Foi o mais rematador entre os dragões e o que mais desequilíbrios tentou fazer em todo o jogo.
Uribe – Quase marcava o primeiro com a camisola portista. Está a subir de forma. Sempre muito disponível em termos físicos.
Otávio – Apareceu quando a equipa mais precisava num cruzamento perfeito para o 1-0. Depois, eclipsou-se.
Corona – Momento menos positivo. Ainda assim, teve um momento de eleição na assistência para o golo de Marega.
Marega – Trapalhão no primeiro tempo. Depois arrancou para o 10º na Liga.
Fábio Vieira – Deu início ao lance que resultou no penálti sobre Díaz. Marcou de livre.
Soares - Teve o condão de abrir o marcador, quando os dragões até não estavam bem no jogo. O golo de cabeça surge após quatro meses de jejum. O avançado brasileiro lutou muito e acabou por merecer o golo inaugural. 
Danilo – Para refrescar.
Díaz – Golaço a fechar
Vitinha – Sem tempo.
Fábio Silva – Falhou em fora de jogo.

ANÁLISE
+ Chegaram-se à frente
Os avançados do FC Porto chegaram-se ontem à frente e lucraram com aquilo que melhor fazem: Soares de cabeça e Marega na velocidade. Nota para o gesto de Telles, a dar o livre da glória ao jovem Fábio Vieira. Conceição não gostou, mas depois sorriu.

- Entrada adormecida
Apesar da vitória do Benfica na véspera, o FC Porto entrou muito amorfo e o Belenenses SAD esteve perto de aproveitar. Em relação à turma conduzida por Petit, não lembra a ninguém entrar em campo sem um guarda-redes suplente.

Arbitragem positiva
Jogo complicado de dirigir. Uribe cai na área, mas parece promover o contacto (29’) e o golo anulado também é bem decidido pelo toque com o braço do colombiano. Dúvidas em lance com Pepe, antes de penálti bem assinalado sobre Luis Díaz.
FC Porto Benfica Uribe Koffi Marega Telles Sporting Otávio Sérgio Oliveira Danilo futebol desporto
Ver comentários