Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

FC Porto tomba no Dragão e fica fora das competições europeias

Azuis e brancos perderam esta quinta-feira de forma concludente com o Bayer Leverkusen.
Filipe António Ferreira 28 de Fevereiro de 2020 às 08:53
Marega marcou o único golo portista no jogo de ontem, e foi um dos  poucos jogadores com nota positiva
FC Porto - Bayer Leverkusen
FC Porto - Bayer Leverkusen
Sérgio Conceição
Marega marcou o único golo portista no jogo de ontem, e foi um dos  poucos jogadores com nota positiva
FC Porto - Bayer Leverkusen
FC Porto - Bayer Leverkusen
Sérgio Conceição
Marega marcou o único golo portista no jogo de ontem, e foi um dos  poucos jogadores com nota positiva
FC Porto - Bayer Leverkusen
FC Porto - Bayer Leverkusen
Sérgio Conceição
Não foi com estrondo, mas quase. O FC Porto está fora da Liga Europa depois de ter sido novamente derrotado pelo Bayer Leverkusen, que mais uma vez voltou a ser muito superior à equipa portuguesa.

As dificuldades que o FC Porto sentiu no jogo da Alemanha voltaram esta quinta-feira a ficar bem patentes no Dragão. A equipa de Sérgio Conceição até entrou dominadora, mas a defesa com três centrais do Bayer nunca deixou os portistas beliscarem o guarda-redes Hradecky.

Com outro ritmo, outra velocidade e com a boa pressão de estar em vantagem , os germânicos chegaram ao golo aos 11 minutos, numa jogada rápida, simples e de grande eficácia. Alário surgiu sem oposição para o 1-0. O assistente ainda assinalou posição irregular mas, após o lance ser analisado pelo VAR, o golo foi (bem) validado.

Com um resultado ainda mais negativo, o FC Porto não conseguiu arranjar solução para chegar ao empate ainda antes do descanso. Só por uma vez o Dragão esteve perto de fazer a festa: o brasileiro Otávio cabeceou muito perto do poste da baliza alemã. Pouco para um conjunto portista que esteve sempre mais perto de sofrer o 2-0 do que de marcar o 1-1.

Sérgio Conceição sabia que tinha de mudar e foi o que fez. Saiu Uribe, entrou Pepe e os dragões passaram a jogar com uma defesa de três defesas. Correu mal, muito mal.

O Bayer Leverkusen, a jogar em igualdade numérica na frente de ataque, fez o que quis da fraquinha defesa portista. Demirbay e Havertz deixaram em silêncio o Dragão que depois do primeiro tempo já pouco ou nada acreditava.

Sem soluções e sem qualidade, o FC Porto passou a jogar mais no meio-campo adversário, mas sem criar qualquer problema. Os alemães concederam o domínio de jogo aos portistas e acabaram por permitir também um golo que apenas amenizou a soma das duas eliminatórias em 5-2 (tinham ganhado 2-1 no primeiro jogo). Otávio cruzou da direita para cabeceamento vitorioso de de Moussa Marega.

Até final, o Bayer podia ter chegado à goleada. Marchesín, com boa estirada, evitou que Bailey fizesse o quarto golo dos germânicos.

O FC Porto cai, assim, nos 16 avos de final da Liga Europa diante de um conjunto alemão superior, sempre com a estrela Kai Havertz no comando das operações.

ANÁLISE
Alemães de outro nível
+ Havertz, Diaby, Alario, Demirbay e o ex- V.Guimarães Tapsoba foram os principais esteios da equipa alemã que no Dragão mostrou e passeou superioridade. Já o tinham feito no primeiro jogo. A jogar assim são candidatos a levantarem o troféu.

Defesa a três... não
- Poucas ou nenhumas vezes esta época Conceição recorreu a uma defesa com três centrais. Arriscou fazê-lo para mudar o resultado mas o tiro saiu pela culatra. Sofreu logo dois golos a abrir o segundo tempo com toda a defesa a ficar a ver.

Sempre em cima
Boa decisão ao validar, depois da ajuda do VAR, o golo do Bayer. Quase sempre bem no plano disciplinar, num jogo musculado a meio-campo. Vermelho bem mostrado a Soares. Aos 71’ Pepe reclamou penálti na área mas o juiz mandou seguir.

"Pensar no campeonato e na Taça"
"Entrámos bem, com vontade de fazer golo e a pressionar o adversário na fase de construção. Tivemos uma ou outra aproximação à baliza com perigo, mas na primeira vez que eles vão à nossa baliza fazem golo. Mantivemo-nos em jogo, mas no início da 2ª parte, nas duas vezes que vão à baliza, fazem o 2-0 e o 3-0. Obviamente estamos desiludidos. Queremos acabar a época com títulos e temos dois desses títulos ao nosso alcance. Há que pensar agora no campeonato e na final da Taça. Vamos dar o melhor para que no final possamos ganhar títulos", disse Sérgio Conceição após o jogo.

Fraca defesa castiga Marchesín
Corona –
O FC Porto precisava dele para ajudar na frente, mas o mexicano esqueceu-se de defender.
Mbemba –
Começou a primeira parte na bitola habitual... fraca. Melhorou um pouco mas fez parte do descalabro após o descanso.
Marcano –
Bem no jogo aéreo mas muito macio perante Alario. Aos papéis no pior período dos dragões.
Alex Telles –
Passividade inexplicável no início do lance do golo alemão. Como ala pouco ou nada acrescentou.
Uribe –
Muito quezilento, não teve força para suster o poderio alemão. Fraco.
Sérgio Oliveira –
Muitas faltas e passes falhados. Também ficou a ver no golo inaugural. Não melhorou quando Uribe saiu.
Otávio –
Começou e terminou a única chance de perigo no primeiro tempo. Decisivo no 3-1 com um cruzamento perfeito para Marega.
Luis Díaz –
Numa das poucas vezes que se viu, acabou agarrado à perna direita. Lesão que o deve afastar algumas semanas.
Marega–
A luta do costume, mas pouco discernimento. O melhor momento foi mesmo o golo de cabeça. Pouco.
Zé Luís –
Foi bem parado pelos três centrais do Bayer Leverkusen. Praticamente não se viu.
Nakajima –
Entrou mexido mas não trouxe mais do que aquilo que Díaz tinha dado.
Pepe –
Entrou para comandar mas acabou por perturbar.
Soares – 
Entrou e foi expulso.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)