Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Fernando Santos soma 75.º jogo como selecionador em Saint-Denis e supera Luiz Felipe Scolari

Técnico completou no sábado 66 anos e, este domingo, empatou a zero com a França em partida da Liga das Nações.
Lusa 11 de Outubro de 2020 às 22:43
Portugal e França na disputa da liderança do grupo 3 da Liga das Nações
Portugal e França na disputa da liderança do grupo 3 da Liga das Nações FOTO: EPA
Fernando Santos isolou-se este domingo na liderança do 'ranking' dos selecionadores portugueses de futebol com mais jogos, ao somar o 75.º em Saint-Denis, face à França, deixando para trás o brasileiro Luiz Felipe Scolari.

No mesmo local onde de estreou, há precisamente seis anos, com um desaire por 2-1, e onde conquistou o Europeu, em 10 de julho de 2016, o técnico que completou no sábado 66 anos empatou a zero, em encontro a contar para a Liga das Nações.

Para trás, ficou Scolari, que comandou a formação das 'quinas' num total de 74 encontros, de 12 de fevereiro de 2003 e 19 de junho de 2008.

Agora com mais um jogo, Fernando Santos apresenta números globalmente superiores aos do técnico 'canarinho', com mais quatro vitórias (46 contra 42), o mesmo número de empates (18) e menos três derrotas (11 contra 14).

Em matéria de golos, o atual selecionador luso também lidera, uma vez que, no seu 'reinado', Portugal marcou 147 golos, contra os 144 da 'era' Scolari, liderando também o 'mano a mano' com o brasileiro nos tentos sofridos (54 contra 62).

No que respeita apenas a jogos oficiais, os números de Fernando Santos são ainda mais impactantes: em 'redondos' 50 jogos, mais sete do que Scolari, soma mais nove vitórias (34/25), mais dois empates (13/11), menos quatro derrotas (3/7), mais 23 golos marcados (104/81) e mais um sofrido (33/32).

De todos os dados estatísticos, o mais importante do treinador que passou por Benfica, FC Porto e Sporting é, porém, o que se refere aos títulos e, nesse particular, ganha ao brasileiro -- como a todos os outros ex-selecionadores -- por 'expressivos' 2-0.

Como Fernando Santos, Portugal conseguiu os primeiros 'canecos' em quase 100 anos de história, com o triunfo no campeonato da Europa de 2016, em França, e na edição inaugural da Liga das Nações, cuja fase final decorreu em solo luso, em 2019.

Ainda assim, Scolari também fez história, ao ser o primeiro a conduzir Portugal à final de uma grande competição, o Europeu de 2004, para sofrer a maior desilusão de sempre, com o desaire por 1-0 face à Grécia, em pleno Estádio da Luz.

Em Mundiais, o treinador brasileiro, atualmente com 71 anos, fez melhor do que o atual selecionador, ao levar a formação lusa às meias-finais da edição 2006, realizada na Alemanha.

O conjunto comandado por Scolari, que chegou a essa competição como detentor do título, depois de conseguir o penta para o Brasil em 2002, apenas caiu nas meias-finais, face à França (0-1), depois de mais um penálti de Zinedine Zidane -- em 2000 foi nas 'meias'.

Por seu lado, Fernando Santos não conseguiu melhor do que atingir os oitavos de final, em 2018, ao perder por 2-1 com o Uruguai, culpa de Edinson Cavani, o avançado que o Benfica tentou, sem sucesso, contratar para a época 2020/21.

Scolari chegou à seleção após o fracasso de António Oliveira no Mundial de 2002, no qual Portugal, com a sua 'geração de ouro', foi afastado na fase de grupos, e saiu, já com contrato assinado com o Chelsea, após 'tombar' face à Alemanha (2-3) nos 'quartos' do Europeu de 2008. Seguiu-se a segunda 'era' Carlos Queiroz.

Quanto a Fernando Santos, sucedeu a Paulo Bento, que sucumbiu a uma derrota caseira face à Albânia (0-1) a abrir o apuramento para o Euro2016, depois de já não ter ultrapassado a fase de grupos do Mundial de 2014, realizado no Brasil.

Fernando Santos chega a 'redondos' 50 jogos oficiais só com três derrotas
O treinador Fernando Santos cumpriu hoje o 50.º encontro oficial à frente da seleção portuguesa de futebol, feito inédito selado com um empate a zero em França que lhe permite manter-se com apenas três derrotas a 'sério'.

Em meia centena de jogos, o técnico que cumpriu 66 anos no sábado totaliza 34 vitórias, 13 empates, com o somado hoje no reduto dos detentores do título mundial, e escassos três desaires, correspondentes a míseros seis por cento.

Fernando Santos, que hoje passou a contar seis anos ao 'leme' da seleção das 'quinas', curiosamente no mesmo Saint-Denis da estreia (1-2 num particular), só conheceu o primeiro desaire em jogos oficiais já campeão europeu.

No primeiro encontro de qualificação para o Mundial de 2018, a formação das 'quinas', desfalcada de Cristiano Ronaldo, ainda a recuperar da lesão da final do Euro2016, perdeu por 2-0 com a Suíça, em Basileia, num jogo realizado em 06 de setembro de 2016.

Foi o 15.º jogo oficial e, nos 14 primeiros, o técnico luso somou o pleno de sete triunfos na qualificação para o Europeu de 2016 e, depois, em França, na fase final, colecionou mais três vitórias e quatro igualdades.

Das 10 vitórias, a mais significativa foi, claramente, a que valeu o título europeu: em 10 de julho de 2016, Portugal superou a França por 1-0, após prolongamento, em pleno Saint-Denis, graças a um golo de Éder, o mais importante da história lusa.

Seguiu-se o desaire em Basileia, mas, depois, Portugal encarrilou cinco triunfos, na corrida ao Mundial de 2018, e três vitórias e dois empates na Taça das Confederações, prova que disputou na qualidade de campeão europeu, caindo nas meias-finais, perante o Chile, nos penáltis.

Na retoma da qualificação para o campeonato do Mundo, a formação das 'quinas' somou mais quatro vitórias, a derradeira na receção à Suíça, por 2-0, para selar o apuramento.

A série de invencibilidade prosseguiu na fase de grupos do Mundial da Rússia, com uma vitória e dois empates, mas, ao quarto embate, Fernando Santos somou a segunda derrota oficial, perante o Uruguai (1-2), em 30 de junho de 2018, e caiu nos 'oitavos'.

O conjunto das 'quinas' disputou, depois, a Liga das Nações e ganhou a prova invicto: duas vitórias e dois empates na fase de grupos, para, na fase final, superar a Suíça nas meias-finais e a Holanda na final, por 1-0, no Dragão.

Antes da fase final, Portugal empatou os dois primeiros jogos de apuramento para o Europeu de 2020, entretanto adiado para 2021, para, depois, responder da melhor forma, com três triunfos.

Após mais uma série de 11 jogos seguidos sem perder em jogos oficiais, a formação das 'quinas' voltou, porém, a perder por 2-1, na Ucrânia, em 14 de outubro de 2019.

O 'onze' de Fernando Santos acabou, porém, por selar o apuramento para o Europeu, com mais dois triunfos, o último no Luxemburgo, por 2-0, e, desde o regresso, após o interregno provocado pela pandemia da covid-19, também não mais perdeu.

Em jogos a contar para a Liga das Nações, Portugal venceu dois e empatou hoje em França, seguindo, após a primeira volta, na liderança do Grupo 3 da Liga A da Liga das Nações.

Ver comentários