Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Jesus diz que Ronaldo tem um talento fora do normal

Técnico afirmou ainda que Gelson vai ser o novo Luís Figo.
Rodrigo Querido 21 de Novembro de 2016 às 13:28
O treinador do Sporting, Jorge Jesus
O treinador do Sporting, Jorge Jesus FOTO: EPA
Jorge Jesus abordou em entrevista ao jornal espanhol Marca o encontro desta terça-feira frente ao Real Madrid a contar para a Liga dos Campeões, destacando a importância de Cristiano Ronaldo nos madrilenos.

"Ronaldo nasceu para marcar golos. É o avançado que mais golos marca no Mundo. Tem um talento fora do normal. Quando jogas contra um jogador assim não podes pensar que está numa fase em que não marca. Ele marca sempre. Quando jogámos em Madrid levava um ano sem faturar de livre e foi assim que marcou. Por isso, quando se defronta alguém assim, pode acontecer tudo, para o bem ou para o mal", disse o treinador dos leões. 

Apesar de considerar Ronaldo um jogador fora do normal, Jesus afirma que há maneira de parar CR7: ""Claro que se pode preparar um duelo desses. Individual e coletivamente podemos ter uma tática em determinados momentos durante o jogo que sirva como referência para um jogador. Quando não queremos que um jogador não tenha muitos espaços temos de o fazer assim, individual e coletivamente. Como fizemos em Madrid. Desta vez não será diferente. O Real já não se surpreenderá connosco, não podemos inventar nada. Já nos conhecemos e talvez agora seja mais fácil para eles desde o ponto de vista que já percebem que não somos a equipa equipa que eles subestimaram", acrescenta.

O técnico admitiu ainda que gostaria de ter a oportunidade de o trabalhar diretamente com Ronaldo. "Qualquer treinador quer treinar alguém como Cristiano. Nunca trabalhei com ele e ficaria muito feliz, claro", respondeu o técnico quando questionado sobre a hipótese de CR7 voltar a jogar pelo Sporting. Os grandes jogadores nunca são um problema, mas sim o contrário. Creio que Cristiano tem uma grande paixão e não estranharia que jogasse até aos 40", afirmou.

Jorge Jesus confessou ainda que não está à espera de surpresas por parte da equipa treinada por Zidane.

"O Real Madrid não nos irá surpreender e nada podemos inventar. Já nos conhecemos e pode ser que agora seja mais fácil para eles, visto que já perceberam que não somos a equipa que subestimaram. Já sabem que somos fortes e muito concentrados", realçou.

Gelson vai ser o novo Luís Figo

Jesus abordou ainda o momento de forma de Gelson Martins, a nova coqueluche leonina, e falou sobre a excelente exibição que o jovem extremo protagonizou no Santiago Bernabéu. O técnico não tem dúvidas de que o internacional português será o novo Luís Figo.

"Fez uma grande exibição, mas Marcelo agora já o conhece. Antes talvez o pudesse surpreender, mas agora já sabe o que o espera. Será mais difícil para ele. Gelson tem uma margem de progressão enorme. Será um jogador ao nível de Figo, estou certo disso", atirou o treinador.

Questionado sobre a possível alteração no esquema de jogo depois da derrota em Madrid, Jesus disse que não vai alterar nada.

"Nada vamos mudar. Se em Madrid jogou Semedo, que nunca tinha disputado um jogo da Champions, tão-pouco Gelson, agora têm mais três jogos. É um risco que corro, hoje têm um pouco mais de experiência", salientou. "Nós estamos mentalizados que temos de ser uma equipa que não pode ter medo. Temos que disputar o encontro assumindo muitos riscos e depender do génio de algum jogador do Real que possa destruir todo o nosso trabalho", frisou.

Jesus atira farpa ao Benfica e diz que não se importa de perder jogadores

A entrevista ao jornal desportivo espanhol 'Marca' passou ainda em revista o título europeu conquistado por Portugal. O diário espanhol questionou se o técnico teria alguma responsabilidade na vitória lusa, dadas as presenças de Rui Patrício, William Carvalho, Adrien e João Mário na equipa das quinas. O treinador respondeu com uma 'farpa' ao Benfica.

"Os méritos são de todos. As seleções dependem do trabalho dos jogadores nos clubes. Lopetegui depende do bom trabalho do Real Madrid, do Barcelona e do Atlético Madrid. Os selecionadores não têm tempo para trabalhar muito com os jogadores tática, física e emocionalmente", começa por dizer. "Depois, Fernando Santos escolhe os que estão em melhor momento e faz um trabalho brilhante como selecionador. Tirou o melhor de cada um no momento forte dos jogadores do Sporting, porque do Benfica, nem um", realçou, concluindo com a tirada ao Benfica. "Talvez Renato Sanches, mas o resto eram jogadores que jogam no estrangeiro. De Portugal, só os nossos."

Jorge Jesus disse ainda que não está preocupado com a eventual perda de jogadores como Gelson, William Carvalho ou Rui Patrício.

"A minha vida de treinador foi sempre assim. Aconteceu o mesmo no Benfica, todos os anos saíam dois ou três jogadores. Vejam o caso de Nico Gaitán, que agora está em Madrid. É o meu trabalho e o reconhecimento de que tudo o que fazemos com os jogadores tem um reflexo", atira. 

"Fico feliz quando os jogadores saem, é sinal de que têm qualidades para representar um clube enorme e para nós é interessante do ponto de vista financeiro", acrescentou.

Presença de Bruno de Carvalho no banco não incomoda, mas quem manda é Jesus

A entrevista ao jornal 'Marca' aborda ainda a questão de Bruno de Carvalho se sentar ao lado de Jorge Jesus no banco de suplentes. O técnico diz que não se sente diminuído com a presença do líder leonino, mas reitera que quem manda é ele.

"No banco o chefe sou eu, a presença do presidente não é um problema", afirma o treinado, acrescentando que o presidente vê o jogo apenas como espetador. 

"Ele sabe o que faz e, ali, o treinador é a entidade máxima. Não é caso único em Portugal, Pinto da Costa também o fazia", referiu Jorge Jesus.
Ver comentários