Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

John Mortimore – o míster rigor: Antigo treinador do Benfica morra aos 89 anos

Inglês comanda águias em dois períodos, vencendo dois campeonatos, outras tantas taças e uma Supertaça.
Ricardo Tavares 28 de Janeiro de 2021 às 08:51
Artur e Eurico seguram John Mortimore após conquista da Taça
Técnico começava sempre os treinos às 10h00
Artur e Eurico seguram John Mortimore após conquista da Taça
Técnico começava sempre os treinos às 10h00
Artur e Eurico seguram John Mortimore após conquista da Taça
Técnico começava sempre os treinos às 10h00
Rigor e disciplina são as palavras que mais abonam a favor de John Mortimore, treinador que contribuiu para a conquista de dois campeonatos, outras tantas Taças de Portugal e uma Supertaça no comando do Benfica. O inglês morreu terça-feira, aos 86 anos, anunciou o Chelsea, onde jogou durante dez anos.

Mortimore, que treinou o Benfica em períodos distintos, entre 1976 e 1979 e, depois, entre 1985 e 1987, era "muito exigente e tinha um grande rigor", recorda ao CM Diamantino, que, aquando da segunda passagem do inglês pela Luz, capitaneava a equipa. "Era impressionante no cumprimento do horário. Às 10h00 começava impreterivelmente o treino", mas, dez minutos antes, o técnico passava pela cabina em direção ao posto médico para se certificar que ninguém tinha falhado os compromissos.

O antigo jogador de Chelsea e Queens Park Rangers, que nasceu em Farnborough (Southampton) e treinou na Grécia ( Ethnikos Piraeus), Espanha (Betis) e Inglaterra (Portsmouth e Southampton), além de Portugal, não era muito querido entre os jogadores, quer do Benfica, quer do Belenenses, essencialmente pelo seu grau de exigência. Mortimore, por exemplo, não permitia que os jogadores vestissem calças de ganga durante as viagens das equipas, e ai de quem fosse visto a fumar. Quando as deslocações eram feitas de comboio os fumadores socorriam-se das casas de banho para matar o vício.

"Taticamente limitado", como confessam ao CM alguns ex-pupilos, John Mortimore esteve ligado à histórica goleada (7-1) infligida pelo Sporting (orientado por Manuel José) ao Benfica, em Alvalade, em 86/87. Mas, apesar do desaire, conseguiu liderar "a equipa para mais um triunfo no Campeonato, ao qual juntou a apetecida Taça de Portugal", lembrou ontem o clube da Luz, que vinca a "admiração e o respeito" que o treinador teve pelo clube, onde entrou pela mão de Borges Coutinho. Na segunda passagem pelas águias, o presidente era Fernando Martins.

Mortimore, campeão em 76/77 e 86/87, época em que alcançou a dobradinha, conquistou também a Taça de Portugal na temporada anterior e arrecadou a Supertaça em 85/86 ao serviço do Benfica. Em 88/89 esteve no Belenenses, época em que os azuis venceram a Taça de Portugal, mas já com o brasileiro Marinho Peres no comando.
John Mortimore Southampton Benfica Supertaça Chelsea Luz Portugal Belenenses desporto futebol
Ver comentários