Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Míssil de Jovane abre vitória do Leão

Jovane volta a imitar o mestre Bruno. De calcanhar, originou lance do penálti do 2-0.
Sérgio Pereira Cardoso e Filipe António Ferreira 19 de Junho de 2020 às 01:30
Jovane Cabral ultrapassa Petkovic, num dos vários momentos em que o extremo brilhou no triunfo leonino de ontem
Jovane Cabral ultrapassa Petkovic, num dos vários momentos em que o extremo brilhou no triunfo leonino de ontem FOTO: EPA
Showvane’ Cabral. Não fosse o facto de estarmos numa altura atípica e o extremo de 22 anos tinha ontem valido, só por ele, o preço de um eventual bilhete. Voltou a mostrar pé quente e a imitar o seu mestre Bruno Fernandes num livre perfeito que abriu caminho para a vitória de um leão cada vez mais confortável a vestir o 3x4x3 de Amorim.

Duas notas de destaque nas opções de Rúben: Nuno Mendes, que hoje faz 18 anos, titular à esquerda e Mathieu de regresso ao relvado. E o francês até viu de lugar privilegiado o tiraço de Jovane, num livre à entrada da área. Segundo disparo indefensável de bola parada em duas jornadas seguidas.

O processo ofensivo de Amorim é muito interessante e tem no jogo exterior um dos pontos fortes - sublinhe-se o papel de Nuno Mendes, que também está no lance do 2-0. Gesto genial de calcanhar de Jovane a lançar o lateral e o centro travado de mão por um tondelense. Sporar não falhou dos 11 metros. Antes do intervalo, Mathieu até ‘evitou o canto’ numa cabeçada ao poste da própria baliza leonina e Mendes quase fazia o 3-0.

O descanso trouxe um Sporting mais relaxado e o Tondela subiu no terreno, causando calafrios a Max por um par de vezes. Do outro lado, Sporar não finalizou uma jogada individual e Jovane desfez mais uns rins pelo caminho. Contas feitas, vitória justa da turma de Alvalade, agora no terceiro lugar, à espera do que faz o Sp. Braga.

Análise ao jogo
Positivo: As testemunhas de Jovane
Primeira parte muito boa dos leões, comandados pelo extremo cabo-verdiano, mas com notas positivas para os outros meninos, Quaresma, Nuno Mendes, Matheus Nunes e Plata. Juventude leonina com valor.

Negativo: Descanso e quebra
Não é crítico em tempos de retoma pós-pandemia, mas o Sporting baixou o ritmo e o rendimento após o descanso e apanhou um par de sustos de um Tondela que apenas decidiu atacar depois do intervalo.

Arbitragem:Muitos pedidos de penálti
Várias reclamações, mas somente um penálti assinalado, e bem, por mão de Jaquité a cruzamento rasteiro de Mendes. Dúvidas num lance com Coates na área do Tondela e num fora de jogo em que os visitantes atiraram à barra.

Análise dos jogadores
Jovane Cabral - Novo livre e novo golaço. Bruno Fernandes foi um excelente professor. Que golo!!! Decisivo no lance que deu o penálti. Em grande.
Maximiano –Duas defesas.
Camacho – Algumas boas descidas pelo flanco.
Quaresma – Muito certo e seguro. Confirma qualidade jogo a jogo.
Coates – Não perdeu um lance na primeira parte.
Mathieu – Quase fez autogolo numa cabeçada ao poste.
Nuno Mendes –Prenda da titularidade um dia antes da maioridade. Seguro e atrevido no ataque. Ganhou o penálti.
Wendel – Mexido e consistente. Empurrou a equipa.
Matheus Nunes – Menos exuberante e menos acertado do que Wendel. Regular.
Plata – Atrevido e perigoso.
Sporar – Penálti marcado e uma chance falhada.
Battaglia – Para segurar.
Ristovski – Refrescou.
Geraldes – Pouco se viu.
Borja – Cumpriu.
Pedro Mendes –Sem tempo.
Ver comentários