Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Novo pesadelo e Benfica não sai do quarto lugar

Encarnados ineficazes na primeira parte e inábeis na segunda. Penálti de Grimaldo estragou golo de Seferovic.
Sérgio Pereira Cardoso 15 de Fevereiro de 2021 às 01:30
Rafael Martins (Moreirense) disputa lance dividido com o benfiquista Taarabt na partida de ontem à noite em Moreira de Cónegos
Moreirense - Benfica
Rafael Martins (Moreirense) disputa lance dividido com o benfiquista Taarabt na partida de ontem à noite em Moreira de Cónegos
Moreirense - Benfica
Rafael Martins (Moreirense) disputa lance dividido com o benfiquista Taarabt na partida de ontem à noite em Moreira de Cónegos
Moreirense - Benfica
Promessas de arrasar e, contas feitas, o Benfica não faz melhor do que um quarto lugar, em risco de ficar a 13 pontos do líder Sporting. As águias voltaram a escorregar, agora em Moreira de Cónegos, que veio confirmar os tons de verde e branco com que se pinta este campeonato.

Com a surpresa Helton Leite na baliza, o Benfica até entrou de pé no acelerador, instalando-se desde início no meio campo dos minhotos. E, com isso, chegaram as oportunidades mais ou menos claras de golo. Darwin mostrou-se comedido na hora de disparar e Rafa tornou-se o expoente máximo de uma espécie de alergia à balizar, com duas perdidas.

O cântaro continuava a ir à fonte e partiu-se no pé esquerdo de Seferovic, após recuperação em zona alta de Taarabt. Remate cruzado e colocado, com o poste a embelezar ainda mais o golo do suíço aos 25’.

A toada manteve-se na direção da baliza de Pasinato, mas bastou um lance em contramão para tramar o Benfica. Walterson faz um túnel de luxo sobre Grimaldo, que reage da pior maneira. Penálti e Yan a empatar tudo antes do intervalo.

E a equipa de Jorge Jesus acusou o golpe. A segunda parte já não foi nada parecida com a primeira. Pelo contrário, escassearam os momentos de frisson nas proximidades da baliza dos cónegos. Começou, então, a lei do grito. O tal ‘ai’ de que falava Jesus, com os seus pupilos a reclamarem penálti. Se o lance de Vertonghen até deixa dúvidas, Weigl mergulhou e ainda enganou a equipa de arbitragem. O VAR é que não foi em cantigas.

Aos 79’, sim, grande oportunidade na cabeça de Darwin, com Pasinato a fazer uma defesa absolutamente incrível. Nem o banco ajudou, apesar das apostas em Pizzi, Waldschmidt e Pedrinho. A reta final foi mais perigosa no outro lado, com perdidas minhotas. As promessas de Jesus sofrem novo golpe. O Benfica está arrasado na Liga.

Águias invictas em Moreira de Cónegos
O Benfica continua sem perder no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, depois de ontem ter empatado com o Moreirense (1-1). Em 15 encontros em Moreira de Cónegos, os encarnados somam 13 vitórias e dois empates.

Seferovic marca e Grimaldo complica
o Helton Leite – Surpresa no onze. Não teve muito trabalho e chegou para as encomendas. Sem culpa no golo.
o Diogo Gonçalves – Alguns passes errados e muitos gritos de Jesus. Melhorou na segunda parte, quando ficou no lado oposto ao do técnico.
o Vertonghen – Integrou bem os lances ofensivos da equipa. Decisivo com um punhado de cortes quando o Moreirense, num último suspiro, tentou o golo da vitória. o Otamendi – Raçudo. Salvou Grimaldo numa perda de bola incompreensível. De resto, esteve muito ativo, com um bom passe para Rafa.
o Grimaldo – Cometeu uma falta na área para grande penalidade e o Moreirense converteu o castigo máximo. Ficou perturbado e isso condicionou o resto da exibição.
o Weigl – Tem ganhado poder de choque. Ainda sofreu uma falta para grande penalidade mas o juiz após consultar o VAR reverteu a decisão e deu-lhe amarelo por simulação.
o Taarabt – Começou endiabrado, mas foi perdendo fôlego na segunda parte. Irreverente e determinado a recuperar bolas. Bons passes para Darwin. Assistiu Seferovic no golo, depois de ter ganhado a bola e lançado o companheiro de equipa.
o Rafa – Dois remates em boa posição que não acertaram no alvo. Tem toque de bola, mas necessita melhorar a finalização. A equipa precisa dele.
o Everton – Tem talento, mas demora a aparecer no jogo. Não desequilibra. Parece mesmo desmotivado.
o Seferovic - O avançado suíço cumpriu a parte dele com um golo (25’) que deveria ter dado a tranquilidade à equipa, mas Grimaldo deitou tudo por terra com o penálti cometido. 
o Darwin– Parece estar um furo acima da maioria dos companheiros. Cria ocasiões de golos, mas nem sempre decide da melhor maneira. Tal como Rafa, tem de ser mais ‘matador’.
o Pizzi – Tentou liderar as tropas para o golo da vitória, mas não conseguiu. Desperdiçou um lance ofensivo, com um passe que apanha Grimaldo em contra-pé.
o Waldschmidt – Está recuperado e vai, certamente, ser útil. Ontem mexeu com o jogo ao trazer acutilância ao ataque. Tem um grande passe para Darwin, mas quem brilhou foi Pasinato.
o Pedrinho – Segurou a bola, mas não trouxe soluções.

ANÁLISE
+ Pasinato e a defesa do jogo
Voo inacreditável do guardião brasileiro, aos 79’, num cabeceamento de Darwin. Se é verdade que o desacerto ofensivo da águia ajudou, Pasinato defendeu quase tudo e ainda tocou na bola do 0-1.

- Grimaldo e o discurso
Jorge Jesus vai sempre buscar forças para novas promessas de ‘agora é que é’, mas os jogadores não correspondem. Grimaldo, ontem, foi uma desgraça. A abordagem no penálti deitou tudo por terra.

Dúvidas na área minhota
O Benfica reclama dois penáltis, e um deles até chegou a ser assinalado por Manuel Oliveira, mas o toque não parece suficiente e o mergulho do Weigl é ‘minutos’ depois. Foi revertido pelo VAR. Já o braço na cara de Vertonghen deixa maiores dúvidas e parece mesmo haver falta sobre o central.
Ver comentários