Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

PSP iliba "Macaco" de cântico sobre a Chapecoense

Bruno Miguel disse que Fernando Madureira ficou "surpreendido" quando começou a ouvir o cântico.
1 de Março de 2018 às 11:34
Fernando Madureira
Fernando Madureira
Fernando Madureira
Fernando Madureira
Fernando Madureira
Fernando Madureira
Fernando Madureira
Fernando Madureira
Fernando Madureira
Fernando Madureira
Fernando Madureira
Fernando Madureira
As imagens de Fernando Madureira em frente aos Super Dragões - claque que lidera - quando esta entoava o cântico "Ai quem me dera que o avião da Chapecoense fosse do Benfica" valeram-lhe o pagamento de uma multa de 2600 euros e uma interdição de aceder a recintos desportivos durante meio ano.

A situação ocorreu em abril do ano passado, durante o jogo de andebol entre o FC Porto e o Benfica no Dragão Caixa, e fez correr muita tinta. "Macaco", como é comummente apelidado, decidiu recorrer das sanções impostas pelo Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPJD).

Assim, esta quarta-feira, foi ouvido no Tribunal de Pequena Instância Criminal do Porto um agente da PSP que se encontrava no pavilhão no dia dos factos.

De acordo com a imprensa desta quinta-feira, quando questionado pelo advogado de Defesa, Bruno Miguel garantiu que o chefe da claque ficou "surpreendido" quando o cântico começou a ser entoado. "Quando ele se apercebeu começou a cantar um dos cânticos habituais da claque", explicou o agente da PSP, que já tinha confessado nutrir uma amizade por Fernando Madureira, adianta a mesma publicação. 

Também João Rocha, diretor do Departamento Jurídico do IPJD, e Lídia Praça, vogal do Conselho Diretivo do mesmo organismo e instrutora do processo, foram ouvidos no tribunal.

Ambos lamentaram as imagens visionadas e Lídia Praça voltou a reafirmar ser claro que o chefe da claque "mexia claramente os lábios e fazia gestos", durante a entoação do cântico.

Já o procurador da República ter-se-á mostrado reticente em concluir que Madureira "estivesse a cantar e a acompanhar com o corpo", pelo que requereu que o FC Porto cedesse imagens de vigilância do dia do jogo.
Ver comentários