Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Rúben Marques confessa agressão a Bas Dost no ataque à Academia do Sporting

“Desferi-lhe uma pancada na cabeça”, disse em tribunal o arguido.
Débora Carvalho 20 de Fevereiro de 2020 às 01:30
Rúben Marques
Rúben Marques é arguido
Bas Dost ficou magoado na cabeça e teve de levar pontos
Rúben Marques
Rúben Marques
Rúben Marques é arguido
Bas Dost ficou magoado na cabeça e teve de levar pontos
Rúben Marques
Rúben Marques
Rúben Marques é arguido
Bas Dost ficou magoado na cabeça e teve de levar pontos
Rúben Marques
Rúben Marques confessou esta quarta-feira em tribunal que foi ele quem agrediu Bas Dost com um cinto no ataque à Academia de Alcochete, a 15 de maio de 2018. "Vi o Bas Dost no corredor. Desferi-lhe uma pancada na cabeça", revelou, acrescentando que "foi um bate e foge".

O arguido explicou que "no dia seguinte à confusão na Madeira" lhe mandaram uma mensagem "para ir à Academia". "Perguntaram-me se queria ir à Academia. Disseram-me que era para ir bater nos jogadores e eu fui", explicou. A juíza Sílvia Pires questionou-o depois se tinha batido no jogador Misic. "Não", respondeu, sublinhando que tirou o cinto para o utilizar "quando estava a chegar ao campo de treino, enquanto outros também tiravam". 


Momentos depois da agressão ao holandês Bas Dost, contou o arguido que Rafael Leão o reconheceu. "Pensei que se fizesse mais alguma coisa ia ser reconhecido", afirmou. "Fiquei constrangido sem saber o que fazer. Eram só pessoas a entrar e a sair e fiquei à espera de uma brecha para ir embora", continuou. No final do depoimento, Rúben Marques mostrou arrependimento. Quando foi ouvido em julgamento, Bas Dost confirmou que levou sete pontos na cabeça e que contratou segurança privada depois do ataque. "Estava em choque, com medo e dores", relatou. Perante o tribunal, o ex-avançado do Sporting revelou, no entanto, que não era capaz de identificar o agressor.

Na 32ª sessão de julgamento foram ainda ouvidos outros dois arguidos - são 44 no total. Luís Almeida disse "estar profundamente arrependido".
"Deixei-me ir atrás deles. Estou nesta cadeira porque estive na Academia na página mais negra do Sporting", afirmou perante a juíza Sílvia Pires.

Pormenores
Chorou em tribunal
Tiago Silva emocionou-se e chorou em tribunal, dizendo que na altura "só via o Sporting" e estava "triste com os maus resultados". Na reta final do depoimento pediu desculpa ao Sporting e aos jogadores.

Mensagens incendiárias
Tiago Silva, que segundo a juíza Sílvia Pires "enviou mensagens incendiárias nos grupos de Whatsapp, assumiu que a ida à Academia foi "uma iniciativa de um grupo de adeptos" e não foi "mandada por ninguém".

Último a falar
Bruno de Carvalho é o último a falar em tribunal. O interrogatório ao ex-presidente do Sporting está marcado para dia 28.
Tiago Silva Rúben Marques Bas Dost Academia de Alcochete Sílvia Pires Sporting desporto futebol
Ver comentários