Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Sérgio Conceição lamenta ausência de "união na crítica ao racismo"

Marega abandonou o campo durante o jogo entre Vitória de Guimarães e FC Porto após ter sido alvo de insultos racistas.
Lusa 19 de Fevereiro de 2020 às 19:17
Sérgio Conceição
Sérgio Conceição FOTO: Sascha Steinbach / EPA
O treinador Sérgio Conceição lamentou esta quarta-feira a ausência de "união na crítica ao racismo", considerando isso mais importante do que a atitude do FC Porto no jogo em Guimarães após os insultos a Marega.

"Pior do que entrar ou sair este ou aquele jogador é não haver consenso e união na crítica ao racismo. Isso é que é importante", sublinhou, quando confrontado com as palavras do treinador do Bayer Leverkusen, adversário de quinta-feira na Liga Europa, que disse que a sua equipa teria abandonado o campo em situação idêntica.

No domingo, Marega recusou-se a permanecer em jogo em Guimarães e abandonou o campo, ao minuto 71, após ter sido alvo de insultos racistas por parte dos adeptos do clube vimaranense, numa altura em que os 'dragões' venciam por 2-1, resultado com que terminou o encontro da 21.ª jornada da liga. 

Vários jogadores de ambas as equipas tentaram demovê-lo, mas Marega, que já alinhou no Vitória e tinha marcado o segundo golo dos 'azuis e brancos', mostrou-se irredutível e foi substituído por Manafá, depois de o jogo ter estado interrompido cerca de cinco minutos.

"Já vi muitas pessoas a dar lições de moral, mas aqui ninguém dá lições de moral a ninguém. Temos um balneário muito forte, muito unido e muito solidário. Toda a gente a remar para o mesmo lado. No final do jogo não interessa a nacionalidade, cor da pele, altura ou cor do cabelo. É exatamente igual, somos uma família", garantiu.

A propósito das críticas, perguntou "quantos treinadores e jogadores sabem os regulamentos, o que fariam em situação única como esta, a primeira vez que aconteceu em Portugal".

"Levamos para o banco um caderno de esquemas táticos, de bolas paradas, e não um de regulamentos. Naquele momento, ficámos todos sem saber o que fazer. A nossa preocupação era acalmar e estar com o Moussa (Marega). Isso é que é importante", realçou.

Sérgio Conceição recorda que o presidente portista, Pinto da Costa, já falou também sobre o tema e disse que não se alongaria sobre um tema que o "enoja".

Na conferência de imprensa de antevisão do encontro da primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa, Diogo Leite sublinhou o desejo de todos no grupo "voltar à normalidade, o Moussa em primeiro".

"Entregámos o caso a quem tem de ser, o mister já falou, o presidente também, estamos solidários com ele. Fomos e somos uma família, espírito que entra no nosso balneário. Estamos só focados em fazer um bom jogo", concluiu.


FC Porto defronta Bayer Leverkusen em jogo da Liga Europa
Sérgio Conceição admitiu que o Bayer Leverkusen vai criar problemas ao FC Porto, mas advertiu que a sua equipa vai criar a mesma mossa ao adversário, em jogo da Liga Europa de futebol.

"Temos a consciência de que vamos ter dificuldades, mas eles também as vão ter com o FC Porto", disse, reconhecendo que vai ser um desafio "extremamente difícil, entre duas equipas que normalmente estão na 'champions'".

Na antevisão ao encontro da primeira mão dos 16 avos de final, o técnico 'azul e branco' destacou o bom momento da sua equipa - "recuperámos alguns pontos para o rival no campeonato, conseguimos mais uma presença numa final (Taça de Portugal)" -, contudo realçou que o que interessa é o "momento", pelo que o mais importante é "dar uma boa resposta" frente ao Leverkusen.

Liga Europa Sérgio Conceição FC Porto Guimarães Marega Moussa desporto futebol insultos racismo
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)