Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Sporting conquista uma vitória cheia de história frente ao Gil Vicente

Leões usaram nomes de lendas. Wendel tocou violino e Plata ‘Balakov’ deu brilho à festa.
Sérgio Pereira Cardoso 2 de Julho de 2020 às 01:30
Gonzalo Plata foi o melhor jogador do Sporting e marcou um golo em dia de aniversário do clube de Alvalade
Gonzalo Plata foi o melhor jogador do Sporting e marcou um golo em dia de aniversário do clube de Alvalade FOTO: Paulo Calado
Alvalade a sorrir. O Sporting comemorou da melhor maneira o 114º aniversário num jogo em que usou nas camisolas os nomes de lendas do clube. Wendel fez de Jesus Correia no 1-0 e deu um toque de violino à festa que teve muito de Plata, autor do 2-0. O Gil Vicente ainda reduziu de penálti, mas o leão chega-se à frente, foge ao Sp. Braga e começa a fazer sombra ao Benfica.

Sem vários dos seus trunfos à disposição - desde logo, Jovane Cabral, a estrela do momento, e Geraldes, que se lesionou antes do encontro -, Amorim escolheu Camacho para uma das pontas do seu 3x4x3. Do lado dos galos, surpresa com Kraev no banco dos suplentes.

Logo após o apito inicial, rebentaram foguetes junto ao estádio, mas até foi o Gil o primeiro a celebrar, com o lance a ser invalidado por fora de jogo (o que se repetiu aos 27’). Do lado leonino, Sporar falhou (14’) à porta da baliza, antes de Wendel inaugurar o marcador, num bom remate à entrada da área após jogada de Plata. Antes do intervalo, Max viria a honrar o nome de Damas - que defesa! - e Plata fez marcha-atrás quando estava isolado num lance que até fez rir o próprio jovem.

O equatoriano, com Balakov nas costas, redimiu-se logo depois do descanso, a aproveitar uma prenda dos gilistas. Estrearam-se Tiago Tomás - com o nome de Ronaldo nas camisola - e Joelson. O Gil Vicente ainda reduziu de penálti (pelo ex-leão Rúben Ribeiro), mas não estragou a festa em Alvalade.

Leão ainda sonha com a Liga dos Campeões
Com a vitória desta quarta-feira, o Sporting reduziu para nove pontos a distância para o Benfica, que ocupa o 2.º lugar que dá acesso à pré-eliminatória da Liga dos Campeões, quando ainda estão em disputa 15 pontos.

Um Gonzalo de Plata mas que vale ouro
Luís Maximiano – Mostrou que é guarda-redes de clube grande: competente nas duas ou três vezes em que foi chamado a intervir.
Eduardo Quaresma – Seguro a defender e sem medo de assumir a saída de bola. Dos três centrais foi o melhor nesse aspeto.
Coates – Noite impecável nas dobras. Grande corte a deslizar na relva, aos 68’, a evitar um golo feito.
Borja – Regular e sem comprometer.
Ristovski – A jogar assim o lugar é dele. Não comprometeu a defender e foi incisivo a atacar, dando largura e fluidez ao jogo da equipa.
Wendel – Foi claramente o pêndulo da equipa. Apareceu bem na área a aproveitar uma bola perdida para fazer o 1-0 e só não bisou no início da  2ª parte porque se deslumbrou com tantas facilidades.
Matheus Nunes – Noite de muito trabalho, face à forma como o Gil Vicente povoava o meio-campo para pressionar os leões na saída de bola. Foi pouco eficaz a desembaraçar-se dessa teia, mas a verdade é que cumpriu os mínimos.
Nuno Mendes – Precipitado nalgumas decisões, mas a forma como faz todo o flanco sem ter medo de arriscar no um para um não engana: é um craque em potência.
Rafael Camacho – Noite apagada sob a esquerda do ataque. Vários passes falhados e más decisões.
Sporar – Sempre disponível para trabalhar, não teve grandes oportunidades para rematar à baliza contrária.
Doumbia – Mais 20 minutos em que mostrou porque não é uma alternativa válida. Negligente na forma como fez uma grande penalidade.
Gonzalo Plata - Um terror à solta na defesa gilista. Foi dele a aceleração que deu o 1-0 e foi lesto e eficaz a aproveitar o erro adversário no 2-0. Uma noite de afirmação.
Battaglia – Boa entrada, deu o corpo às balas num remate perigoso.
Tiago Tomás – Mais um jogador da formação que, aos 18 anos de idade, se estreia na equipa principal.
Joelson – Outro ‘miúdo’, este com 17 anos, que teve os primeiros minutos na equipa.

ANÁLISE
+ Futuro com passado
Max não sentiu nas costas o peso do nome de Damas e fez três ou quatro defesas de valor. Registo para novas estreias, Tiago Tomás foi Ronaldo por uma noite e Joelson vestiu Yazalde. Leão de Amorim soma e segue - quatro vitórias consecutivas.

- Prendas indesejadas
O futebol é feito de erros e o Gil Vicente ofereceu uma autêntica prenda ao Sporting no lance do 2-0, de um Plata que se redimiu de uma jogada caricata em que voltou para trás quando estava isolado. Doumbia retribuiu o gesto ao dar um penálti aos galos.

Penálti bem decidido
O penálti cometido por Doumbia não oferece grandes dúvidas e foi a principal decisão a tomar num jogo tranquilo para o árbitro portuense, que apenas mostrou dois cartões amarelos. Bem ao deixar o Gil marcar antes de parar os lances por fora de jogo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)