Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Tabata dá 'meias' da Taça de Portugal ao Sporting

Leões aguardam desfecho do Vizela-FC Porto para conhecer o adversário da próxima ronda.
Mário Figueiredo 12 de Janeiro de 2022 às 01:30
Tabata leva Sporting às meias da Taça
Leça - Sporting
Tabata leva Sporting às meias da Taça
Leça - Sporting
Tabata leva Sporting às meias da Taça
Leça - Sporting
Tabata, com dois golos e uma assistência, garantiu a vitória do Sporting sobre o Leça (4-0) e a presença dos leões na meia-final da Taça de Portugal, onde fica a aguardar o desfecho de hoje do Vizela-FC Porto para conhecer o adversário.

Rúben Amorim quis uma reação enérgica à derrota com o Santa Clara e conseguiu. Procedeu a cinco alterações no onze que esteve nos Açores (eram seis, mas Porro ressentiu-se no aquecimento e deu lugar a Esgaio) e, apesar do campeão nacional ter revelado alguma falta de entrosamento, valeu a qualidade individual dos jogadores para garantir a continuidade da Taça de Portugal.

O Leça, o único sobrevivente do Campeonato de Portugal, bateu-se com dignidade perante um Golias ferido com a derrota nos Açores. O Sporting revelou sempre ascendente no jogo e acabou por chegar ao golo através de Tabata. O avançado brasileiro realizou um bom trabalho individual, tendo tirado vários adversários do caminho até rematar para a baliza, onde o guarda-redes Gustavo Galil acabou traído por um ligeiro desvio da bola num dos seus defesas.

O golo fez o Sporting baixar a intensidade. Uma reação inconsciente face a tantas alterações. Aproveitou o Leça para mostrar os argumentos que o colocam em primeiro da sua série no Campeonato de Portugal e nos quartos de final da Taça de Portugal, depois de terem sido carrascos dos primodivisionários Arouca e Gil Vicente. Um futebol atrevido que causou calafrios, mas sem ser letal.

A manta leceira tapava a cabeça e descobria os pés. E foi num desses lances que Matheus Nunes ampliou a vantagem. Ugarte desmarcou Tabata, que assistiu o internacional português para o segundo golo.

Na segunda parte, o Sporting acomodou-se à vantagem e foi gerindo. O Leça manteve o atrevimento e jogou olhos nos olhos, causando perigo com mais frequência do que a esperada.

Mesmo assim, os leões foram sempre mais contundentes. Joel Mateus ainda negou um golo a Feddal em cima da linha. O leão acelerava e Tabata marcava. O brasileiro acabou por bisar após nova assistência de Esgaio. O golpe final surgiu já nos descontos, num golo de cabeça de Nuno Santos após um cruzamento de Vinagre.

Arbitragens em "quase caos"
"Ao que assistimos neste fim de semana foi quase um caos. Uma dualidade de critérios no mesmo jogo, com o mesmo árbitro (Vítor Ferreira foi o árbitro e Luís Godinho o videoárbitro), na mesma parte, no jogo do Benfica, o que é algo muito difícil de explicar", disse Miguel Braga no programa ‘Raio X’ numa análise ao Benfica-P. Ferreira, no qual o pacense Denilson foi expulso e Otamendi e Everton continuaram em campo por faltas idênticas, na ótica leonina. O diretor de comunicação faz ainda a comparação com a expulsão do sportinguista Daniel Bragança frente ao Santa Clara e um lance do portista Mbemba no embate com o Estoril. Miguel Braga acusa o Benfica e FC Porto de serem protegidos e sugere um ‘workshop’ aos juízes portugueses: "Em 17 jogos, o Benfica tem menos 20 amarelos do que o Sporting e se olharmos para esta jornada percebemos as razões. Já o Estoril (perdeu com o FC Porto por 3-2) tem um golo anulado por uma faltinha. Fazia bem aos árbitros terem workshop de futebol inglês, pois assim passaremos também a ter um futebolzinho."

Esgaio redime-se em noite de samba
João Virgínia – Fez a primeira e única defesa aos 51’. Sem grande trabalho.
Esgaio – Chamado à titularidade à última da hora por lesão de Porro, fez jogo competente e assistiu para o 3-0.
Gonçalo Inácio – O central do meio fez jogo seguro e tranquilo.
Neto – O capitão quis mostrar-se sereno e teve por vezes que recorrer à falta.
Feddal – O marroquino cobriu bem a subida de Vinagre.
Rúben Vinagre – Dinâmico na esquerda e bom entendimento com Nuno Santos.
Ugarte – Encheu o meio-campo e participou no segundo golo. O Palhinha que não adormeça no estatuto...
Matheus Nunes – Marcou o segundo golo de pé esquerdo e ligou de forma competente o meio-campo com o ataque.
Nuno Santos – Jogo bem conseguido. Aos 66’ fez um cruzamento espetacular de ‘letra’ a que Tabata não deu seguimento. Fechou o marcador já na compensação.
Tabata - Marcou dois golos, teve participação ativa num outro e proporcionou ao guarda-redes adversário a defesa da noite. Bom jogo deste brasileiro que se quer afirmar de vez na equipa. 
Tiago Tomás – Trabalhou muito até aos 60’ mas sem grande critério. Não criou oportunidades e na última meia hora geriu o esforço.
Gonçalo Esteves – Rúben está a prepará-lo ao minuto.
Paulinho – Entrou para queimar calorias e preparar-se para o que aí vem.

POSITIVO E NEGATIVO
+ Luís Pinto cai com dignidade
Luís Pinto viu o seu Leça cair na Taça de Portugal, mas com grande dignidade. Nunca abdicou de lutar pelo resultado numa luta desigual entre David e Golias. O Leça, do Campeonato de Portugal, só pode estar orgulhoso com o trabalho realizado.

- Leão nervoso... com apito
Os jogadores do Sporting parecem nervosos. Contestam as decisões de arbitragem com demasiada facilidade a acabam por ver cartões amarelos. Uma situação que num jogo mais quente pode custar expulsões e, com isso, pontos.

Arbitragem consistente
Manuel Mota teve uma arbitragem consistente e sem casos. Os golos foram validados pelo VAR. O terceiro ainda gerou dúvidas, mas Esgaio estava em jogo por 15 centímetros. Excesso de zelo num amarelo a Nuno Santos numa disputa de bola.
Ver comentários