Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Vitória de Guimarães só caiu frente ao FC Porto com menos um jogador

Os azuis-e-brancos aproveitaram e garantiram os três pontos numa fase importante da Liga
Secundino Cunha e Filipe António Ferreira 29 de Novembro de 2021 às 01:30
Luis Díaz em lance com Amaro. O colombiano do FC Porto continua em grande plano
Luis Díaz em lance com Amaro. O colombiano do FC Porto continua em grande plano FOTO: Lusa
O FC Porto segurou este domingo o primeiro lugar da Liga (a par do Sporting), ao vencer o V. Guimarães por 2-1. A expulsão de Abdul Mumin, ao minuto 53, com o jogo empatado, complicou a vida à turma minhota.

O golo da vitória dos dragões surgiu logo seis minutos depois, por Evanilson, após excelente triangulação entre Luis Díaz e Otávio. A partir daí, a equipa de Conceição controlou as operações e até criou oportunidades para dilatar a vantagem.

O FC Porto entrou no jogo a todo o gás, mas a primeira oportunidade de golo pertenceu ao Vitória, com Bruno Duarte a falhar à boca da baliza. Numa primeira parte de grande nível, acabaram por ser os vimaranenses a abrir o ativo.

Depois de ter marcado livre, por derrube de Zaidu a Marcus Edwards, mesmo em cima da linha da grande área, Luís Godinho, por indicação do VAR, reverteu a decisão e foi o próprio Edwards a converter, com classe, a grande penalidade.

Mas a resposta dos dragões foi quase imediata. Uribe marcou rapidamente um livre de fora de jogo, servindo Luis Díaz que, pela esquerda, depois de tirar João Ferreira da frente, assinou uma obra-prima: rematou com força, com a bola a bater no poste antes de beijar as redes.

Análise ao jogo
Positivo: Luis Díaz em grande forma
O golo que restabeleceu a igualdade foi magnífico, só ao alcance dos melhores. Mas o colombiano realizou uma magnífica exibição, jogando e fazendo jogar. Esteve inclusive no segundo golo dos dragões, ao servir Otávio para o passe final.

Negativo: Abdul Mumin compromete
A primeira parte terminou com um golo para cada lado. Ao ser expulso, logo no início do segundo tempo, devido a uma entrada totalmente fora de tempo sobre Taremi, quando este se esgueirava para a baliza, Mumin arruinou a estratégia da equipa.

Arbitragem: Jogo seguro de Godinho
Uma partida de ritmo muito elevado, com grande entrega por parte dos jogadores, não se antevia fácil para o árbitro. Mas Luís Godinho mostrou segurança, mesmo nos momentos de maior tensão, e decidiu sempre de forma correta.

Análise aos jogadores
Luis Díaz - Impressionante. Falhou um golo de baliza aberta mas depois redimiu-se com um fantástico remate no 1-1. Várias arrancadas e um passe decisivo para o 2-1.
Diogo Costa – Uma grande defesa a remate de Rochinha. De resto pouco trabalho, apesar do perigo rondar a sua baliza no primeiro tempo.
João Mário – Muitas dificuldades para travar Rochinha da direita.
Mbemba – Podia ter ajudado mais o lateral-direito. Algumas desatenções.
Fábio Cardoso – O substituto de Pepe teve alguns problemas para travar os avançados minhotos até ao intervalo.
Zaidu – Fez penálti sobre Marcus Edwards, mas já tinha demonstrado falhas.
Uribe – Muito trabalho para impedir os contra-ataques da equipa contrária. Importante.
Sérgio Oliveira – Um livre perigoso e pouco mais. Teve pouca bola e saiu ao intervalo.
Otávio – Começou em alta, mas perdeu gás até ao intervalo. A abrir o segundo tempo assistiu de forma primorosa Evanilson para o golo.
Evanilson – Teve na cabeça a oportunidade de fazer o 2-1, mas Mumin cortou na linha de golo. Depois só teve de empurrar para o 2-1. Decisivo.
Taremi –Não está a atravessar um bom momento. Tentou mas rematou sempre mal.
Vitinha – Deu mais acutilância ao jogo ofensivo.
Wendell – Entrou e quase a seguir viu amarelo.
Manafá – Perdeu clara oportunidade.
Corona – Falhou na cara do golo, um mês depois do último jogo pelos dragões.
Fábio Vieira – Sem tempo.
Ver comentários