Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

William Carvalho arrasa ex-presidente do Sporting: “Queria ameaçar os jogadores”

Ex-jogador leonino arrasa Bruno de Carvalho ao expor várias conversas.
Débora Carvalho 1 de Fevereiro de 2020 às 10:03
William Carvalho
William Carvalho FOTO: Vitor Chi
William Carvalho afirmou esta sexta-feira em tribunal que, meses antes do ataque à Academia de Alcochete, Bruno de Carvalho pediu para "ameaçar os jogadores e partir-lhes os carros". O ex-capitão do Sporting garantiu, sob juramento, que foi isto que lhe disse Mustafá, chefe da claque Juve Leo, numa conversa telefónica. O futebolista confrontou Bruno de Carvalho numa reunião, mas o ex-presidente negou ter feito esse pedido a Mustafá.

A relação de William com Bruno de Carvalho azedou muito antes do ataque a Alcochete. "O presidente virou-se para mim e disse que eu era o culpado de tudo e que já devia ter saído há muito tempo", recordou. Relembrando que foi agredido no peito e nas costas, William contou ainda que lhe disseram para despir a camisola. "Agarraram-me no braço e disseram-me que eu não era digno de vestir a camisola."

André Geraldes também testemunhou por videoconferência, a partir do Tribunal de Faro. O antigo team manager disse não se lembrar de ter sido contactado por Bruno Jacinto (ex-oficial de ligação do Sporting com os adeptos), que garantiu em tribunal ter-lhe enviado, na véspera do ataque, uma mensagem a avisar que os adeptos iam à academia no dia seguinte. "Não me recordo. (...) Soube do ataque pela televisão. Nesse dia estava muito ocupado com o meu problema." Geraldes soube que estava a ser investigado no processo Cashball.

Sobre a relação de Jorge Jesus com o antigo presidente dos leões, confidenciou que o treinador pediu para sair do Sporting na primeira época.

Pormenores

Varandas
O julgamento retoma na próxima terça-feira com a inquirição de Misic. No dia seguinte está marcado o depoimento de Bas Dost e na sexta-feira será a vez de Frederico Varandas ir ao Tribunal de Monsanto.

Chamadas
William Carvalho confirmou que no dia do ataque telefonou à noite para Mustafá, por duas vezes, sem sucesso. O advogado de Mustafá criticou as "muitas falhas de memória" do ex-jogador do Sporting.

Reunião com Juve
André Geraldes afirmou que Bruno disse aos elementos da claque Juventude Leonina "façam o quiserem", quando estes mostraram descontentamento com a prestação da equipa de futebol.
Ver comentários