Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Al-Attiyah e Sanders dão show no rali Dakar

Australiano (Gás Gás) lidera, enquanto o português António Maio subiu para o 15º lugar da classificação geral.
Filipe António Ferreira 3 de Janeiro de 2022 às 09:50
Daniel Sanders
Nesser Al-Attiyah comanda a classificação nos carros
Daniel Sanders
Nesser Al-Attiyah comanda a classificação nos carros
Daniel Sanders
Nesser Al-Attiyah comanda a classificação nos carros
O australiano Daniel Sanders (Gás Gás), em motas, e o qatari Nasser Al-Attiyah (Toyota), em carros, venceram este domingo a segunda parte da primeira etapa do rali Dakar de todo-o-terreno, que se realiza na Arábia Saudita.

Sanders concluiu os 334 quilómetros da especial cronometrada em Ha'il com o tempo de 4:38.40 horas, deixando o segundo, o chileno Pablo Quintanilla (Honda), a 3.07 minutos.

O alentejano António Maio (Yamaha) terminou na 15ª posição do dia (ocupa o mesmo lugar na geral), a 36.50 minutos do vencedor. Na geral, Sanders tem agora 1.47 minutos de vantagem sobre Quintanilla, com o britânico Sam Sunderland (Honda) em terceiro, a 4m23s.

Nos automóveis, Nasser Al-Attiyah (vencedor em três ocasiões) lidera com 12m44s de vantagem para o francês Sébastien Loeb (BRX) na segunda posição.

O francês Stéphane Peterhansel (Audi), um dos favoritos à partida, sofreu problemas mecânicos no seu Audi elétrico e perdeu muito tempo à espera da assistência. Miguel Barbosa (Toyota) é 49º, a quase 2h30m do primeiro.

A principal prova de todo-o-terreno do Mundo começou no sábado e vai disputar-se até 12 de janeiro. Em 2021, também nas escaldantes e difíceis areias da Arábia Saudita, o campeoníssimo Stéphane Peterhansel foi o mais forte nos carros, enquanto o argentino Kevin Benevides venceu nas motas.

Esta segunda-feira, disputa-se a segunda etapa da prova, entre Ha'il e Al Artawiya, com uma ligação de 230 quilómetros e 338 quilómetros cronometrados.

"Corrida está mais exigente o que pode ser bom para mim"
"A navegação correu bem, foi tranquila, não tive grandes stresses, mas a corrida está mais exigente este ano relativamente aos anteriores, o que pode ser bom para mim. A mota esta impecável", disse António Maio (Yamaha) à chegada, ele que passou a ser o melhor português nas motas, ocupando o 15º lugar da geral individual. O piloto luso mostrou bom andamento mas revelou alguns problemas: "O início foi tranquilo, mas ao km 8 havia uma vala de perigo 2. Saltei, mas o impacto foi um pouco mais forte e abriu-se o airbag. (...) Foi complicado, a moto enterrava-se. Ter perna curta é o que dá."
Ver comentários