Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

FC Porto na final da Taça de Portugal de voleibol feminino ao vencer Famalicão

Equipa vai tentar revalidar o troféu no domingo, às 15h00, encarando o Clube K.
Lusa 7 de Março de 2020 às 23:24
Voleibol feminino do FC Porto
Voleibol feminino do FC Porto FOTO: Nuno Fonseca / Movephoto
A Academia José Moreira/FC Porto apurou-se este sábado para a final da Taça de Portugal de voleibol feminino, ao derrotar o AVC Famalicão, por 3-0, reeditando no domingo o encontro decisivo da época passada com o Clube K.

Em Santo Tirso, onde decorre a 'final four', as 'azuis e brancas', vencedoras da fase regular do campeonato, gastaram 81 minutos para ganhar os três parciais (25-20, 25-23 e 26-24) frente às quartas colocadas e vencedoras da prova 'rainha' em 2015/16 e 2016/17.

A central luso-brasileira Aline Tim destacou-se pelas minhotas com 14 pontos, enquanto a zona 4 Victória Alves, a central Beatriz Santos e a oposto Tânia Oliveira foram as melhores marcadoras do emblema sediado em Nogueira da Regedoura, freguesia do concelho de Santa Maria da Feira, com 12, 11 e 10 pontos, respetivamente.

Após triunfos sobre os primodivisionários Leixões (3-0) e Castêlo da Maia (3-1) nas rondas anteriores, a Academia José Moreira/FC Porto vai tentar revalidar o troféu no domingo, às 15h00, encarando o Clube K, que venceu este sábado o anfitrião Desportivo das Aves (3-1).

Com estatuto de favoritas, as portistas elevaram o seu jogo desde cedo perante umas famalicenses aguerridas, denotando uma série de receções assertivas, blocos compactos e serviços potentes que significaram sete pontos à maior (19-12 e 20-13), menos dois face aos derradeiros números do primeiro parcial (25-20).

A Academia José Moreira/FC Porto voltou a dominar os primeiros toques do segundo 'set', mas quebrou a consistência e galvanizou o AVC Famalicão, que intensificou a réplica ao ponto de recuperar oito pontos (5-13) para um momentâneo 22-21, penalizado com alguns erros não forçados que confirmaram nova superioridade 'azul e branca' (25-23).

Sem acusar as contrariedades, a formação de Vítor Oliveira viveu o melhor momento no terceiro parcial, no qual chegou a ter três tentos de vantagem (10-7), a tempo de as comandadas de Rui Moreira recuperarem o ascendente (21-18) para selar à tangente (26-24) a segunda qualificação consecutiva para a final da Taça de Portugal.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)