Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Piloto alemã diz que vai "voltar mais forte" após aparatoso acidente em Macau

Jovem sofreu várias fraturas na vértebra, com compressão no sistema nervoso central.
20 de Novembro de 2018 às 16:26
A piloto alemã Sophia Floersh
A piloto alemã Sophia Floersh no seu carro após o acidente em Macau
Sophia Floersh no GP de Macau
 A piloto alemã Sophia Floersh
A piloto alemã Sophia Floersh
A piloto alemã Sophia Floersh no seu carro após o acidente em Macau
Sophia Floersh no GP de Macau
 A piloto alemã Sophia Floersh
A piloto alemã Sophia Floersh
A piloto alemã Sophia Floersh no seu carro após o acidente em Macau
Sophia Floersh no GP de Macau
 A piloto alemã Sophia Floersh
A piloto alemã Sophia Floersh, de 17 anos, que sofreu um aparatoso acidente no GP Macau de Fórmula 3 em automobilismo, disse esta terça-feira que vai "voltar mais forte", numa mensagem publicada nas suas redes sociais.

"Eu sobrevivi à operação que demorou 11 horas. Espero que daqui para a frente a situação apenas possa melhorar. Tenho de ficar mais uns dias em Macau até ser possível ser transportada. Quero agradecer a todos os meus fãs por todos os desejos de rápidas melhoras... isto motiva-me e dá-me muita coragem. Os meus pensamentos estão também com todos aqueles que estiveram envolvidos no meu acidente, espero que toda a gente esteja bem e saudável. (...) Vou voltar mais forte!", salientou Sophia Floersh.

Sophia Floersch é uma das cinco pessoas que continuam hospitalizadas no Hospital São Januário em Macau, na sequência de vários acidentes que ocorreram no Grande Prémio, que decorreu de quinta-feira a domingo, informou a equipa médica do hospital durante uma conferência de imprensa.

A jovem piloto, que fazia a sua estreia no Grande Prémio de Macau, despistou-se na terceira das 15 voltas da prova e embateu no carro do japonês Sho Tsuboi, ultrapassando os 'rails' de proteção na abordagem à curva do Hotel Lisboa.

"Como a paciente é muito jovem, a operação cirúrgica foi feita com muita atenção", sendo que "a operação foi bem-sucedida e os procedimentos foram favoráveis", informou o chefe do serviço de ortopedia do hospital, Lau Wai Lit.

A jovem sofreu várias fraturas na vértebra, com compressão no sistema nervoso central, e após a operação passou nos testes de sensibilidade em todas as partes do corpo.

"Temos confiança que não vai afetar a sua mobilidade no futuro" e "acreditamos que poderá correr outra vez", disse um dos médicos, sublinhando que o prognóstico ainda é reservado. Só quando estiver estável é que regressa para o país (...) vamos monitorizar o seu estado durante pelo menos mais duas semanas", informaram.

Durante a prova no sábado de motos do Grande Prémio de Macau, ganha pelo britânico Peter Hickman, aconteceu um despiste, envolvendo dois pilotos britânicos.

Um dos pilotos, disse a equipa médica sem especificar a sua identidade, uma sofreu uma fratura no pescoço, vértebra torácica, e deslocou o ombro esquerdo.

A corrida, disputada no icónico Circuito da Guia, traçado citadino de 6,12 quilómetros e considerado um dos mais perigosos do mundo.

"Esta é uma prova reconhecida pela FIA, e em que todas as medidas de segurança seguem as orientações de segurança daquela entidade e da Subcomissão Desportiva", disse o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura e presidente da Comissão Organizadora do Grande Prémio de Macau, Alexis Tam.

O Grande Prémio de Macau inclui três corridas de carros -- as taças do mundo de Fórmula 3, GT e de carros de turismo (WTCR) -, bem como a 52.ª edição do Grande Prémio de motos, além da taça de carros de turismo de Macau e a taça da Grande Baía.

No próximo ano o evento volta ao território chinês entre os dias 14 e 17 de novembro.
Ver comentários