Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Endividamento da economia atingiu recorde de 736,6 mil milhões de euros em agosto

Este valor é o mais alto desde o início desta série do Banco de Portugal, em 2007.
Lusa 20 de Outubro de 2020 às 12:40
Dinheiro
Dinheiro FOTO: Getty Images
O endividamento do setor não financeiro da economia atingiu o recorde de 736,557 mil milhões de euros em agosto, mais 1.724 milhões de euros face a julho, segundo a informação hoje divulgada pelo Banco de Portugal.

Este valor é o mais alto desde o início desta série do Banco de Portugal, em 2007.

"Em agosto de 2020, o endividamento do setor não financeiro situou-se em 736,6 mil milhões de euros, dos quais 334,4 mil milhões de euros respeitavam ao setor público e 402,2 mil milhões de euros ao setor privado", lê-se na nota do Banco de Portugal que acompanha a informação estatística.

Face a julho de 2020, o endividamento do setor não financeiro aumentou mais de 1.700 milhões de euros, o que o banco central atribui à subida de 2.300 milhões de euros do endividamento do setor público, compensado em parte pela redução de 600 milhões de euros do endividamento do setor privado.

Já o aumento do setor público para 334,4 milhões de euros é atribuído à subida do endividamento face ao setor financeiro (1.500 milhões de euros) e face ao exterior (900 milhões de euros), parcialmente compensados pela redução do endividamento perante as próprias administrações públicas (200 milhões de euros).

No setor privado não financeiro, a descida para 402,1 milhões de euros deve-se à descida do endividamento das empresas (900 milhões de euros) devido queda do endividamento face ao exterior.

Já o endividamento dos particulares perante o setor financeiro aumentou 300 milhões de euros. Já na comparação homóloga, face a agosto de 2019, o endividamento do setor não financeiro da economia aumentou 14.928 milhões de euros para 736,557 mil milhões de euros.

Banco de Portugal economia negócios e finanças macroeconomia
Ver comentários