Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
8

Fundo de Resolução paga 92 milhões de euros em juros ao Estado e aos bancos devido ao financiamento do BES

Valor dos juros pagos ao Estado foi de 78 milhões de euros, enquanto o montante pago aos bancos ascendeu a 14 milhões de euros.
Lusa 31 de Dezembro de 2021 às 14:08
BES
BES
O Fundo de Resolução pagou, esta sexta-feira, juros de 92 milhões de euros ao Estado e às instituições de crédito relativos a empréstimos obtidos em 2014 para financiamento da medida de resolução aplicada ao BES.

Segundo um comunicado do Banco de Portugal (BdP), "o Fundo de Resolução efetuou hoje o pagamento dos juros devidos ao Estado e a um conjunto de instituições de crédito relativamente aos empréstimos obtidos, em 2014, para o financiamento da medida de resolução aplicada ao Banco Espírito Santo, S.A.".

O valor dos juros pagos ao Estado foi de 78 milhões de euros, enquanto o montante pago aos bancos ascendeu a 14 milhões de euros.

"Com os pagamentos hoje realizados, o valor de juros pagos pelo Fundo de Resolução ao Estado, desde 2014, totaliza 691 milhões de euros (incluindo também os juros relativos ao empréstimo obtido em 2015 para o financiamento da resolução do BANIF) e o valor de juros pagos aos bancos totaliza 118 milhões de euros", avança o BdP.

A taxa de juro aplicável aos empréstimos, em 2021, foi de 2%.

O BdP recorda que o empréstimo concedido pelo Estado ao Fundo de Resolução foi de 3.900 milhões de euros.

Já o empréstimo concedido por sete instituições de crédito (Caixa Geral de Depósitos, Banco Comercial Português, Banco BPI, Banco Santander Totta, Caixa Económica Montepio Geral, Banco BIC Português e Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo) foi de 700 milhões de euros.

Na resolução do BES, em agosto de 2014 foi criado o Novo Banco para onde forem transferidos os depósitos, os trabalhadores do BES e os ativos considerados menos problemáticos (um tema que desde então tem sido alvo de muito debate face aos prejuízos elevados do Novo Banco e recurso de dinheiros públicos). Já no BES (então designado 'BES mau') ficaram os ativos considerados 'tóxicos' (caso de participações como BES Angola, BES Miami, Aman Bank - Líbia), assim como os acionistas.

BES bancos banca Fundo de Resolução
Ver comentários