Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Fundo de Resolução quer certificação das contas do Novo Banco e recorre aos 850 milhões do Estado

O banco anunciou que vai pedir uma injeção de capital de 1.149 milhões de euros ao Fundo de Resolução.
Lusa 1 de Março de 2019 às 19:25
Novo Banco
António Ramalho, CEO do Novo Banco
 António Ramalho, CEO do Novo Banco
Novo Banco
António Ramalho, CEO do Novo Banco
 António Ramalho, CEO do Novo Banco
Novo Banco
António Ramalho, CEO do Novo Banco
 António Ramalho, CEO do Novo Banco

O Fundo de Resolução indicou esta sexta-feira que vai recorrer ao empréstimo acordado com o Estado, com o limite anual de 850 milhões de euros, para pagar ao Novo Banco, mas primeiro é preciso uma certificação legal das contas.

"O pagamento devido em 2019 pelo Fundo de Resolução será realizado após a certificação legal de contas do Novo Banco e após um procedimento de verificação, a realizar por entidade independente, que visa confirmar se o montante a pagar pelo Fundo foi corretamente apurado", indica a entidade em comunicado.

"Para a realização do pagamento, o Fundo de Resolução irá utilizar, em primeiro lugar, os recursos financeiros disponíveis, resultantes das contribuições pagas, direta ou indiretamente pelo setor bancário", adianta o Fundo, acrescentando que "esses recursos serão complementados pela utilização de um empréstimo acordado com o Estado em outubro de 2017, com o limite máximo anual, então definido, de 850 milhões de euros".

O Novo Banco anunciou esta sexta-feira prejuízos de 1.412,6 milhões de euros em 2018, e alterou os resultados de 2017 subindo os prejuízos para 2.298 milhões de euros nesse ano.

O banco anunciou, então, que vai pedir uma injeção de capital de 1.149 milhões de euros ao Fundo de Resolução.

O Fundo de Resolução recorda que "como também foi divulgado em março de 2017, os pagamentos a realizar pelo Fundo de Resolução - caso se cumpram as respetivas condições - estão sujeitos a um limite máximo, fixado em 3.890 milhões de euros".

Em 2018 foi feito um pagamento de 791,7 milhões de euros ao Novo Banco. "O montante pago em 2018 e o montante agora apurado pelo Novo Banco enquadram-se nas obrigações contratualizadas em 2017 e estão contidos naquele limite máximo", indica a entidade.

A soma dos dois valores atinge cerca de 1.940 milhões de euros, o que significa que o banco ainda poderá pedir mais quase 1.950 milhões de euros, uma vez que a recapitalização do Fundo de Resolução pode chegar aos 3,89 mil milhões de euros.

O Fundo de Resolução ainda detém 25% do Novo Banco, detendo o fundo de investimento norte-americano Lone Star os restantes 75%.

Em 2017, o Estado teve de emprestar ao Fundo de Resolução dinheiro (mais de 400 milhões de euros) para que este pudesse recapitalizar o Novo Banco.

Fundo de Resolução Estado Novo Banco Lone Star política
Ver comentários