Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

Governo admite maior subida nos ordenados

Ministra diz que há margem para ir além dos 0,3% previstos para aumentar funcionários.
Wilson Ledo 18 de Janeiro de 2020 às 01:30
Ministra disse no Parlamento que só revela o que “vai ser acrescentado aos 0,3%” quando falar com os sindicatos
Assembleia da República
Parlamento
Parlamento
Ministra disse no Parlamento que só revela o que “vai ser acrescentado aos 0,3%” quando falar com os sindicatos
Assembleia da República
Parlamento
Parlamento
Ministra disse no Parlamento que só revela o que “vai ser acrescentado aos 0,3%” quando falar com os sindicatos
Assembleia da República
Parlamento
Parlamento
O Governo admitiu esta sexta-feira que há margem para ir além dos 0,3% previstos para o aumento de salários na Função Pública. A ministra com a pasta da Administração Pública, Alexandra Leitão, rejeitou avançar com mais pormenores, já que os "sindicatos serão os primeiros a saber".

Os detalhes ficam guardados para 10 de fevereiro, quando está agendada uma reunião com os diferentes sindicatos. O encontro só acontecerá quatro dias depois da votação final global do Orçamento do Estado para 2020. "É evidente que há margem no Orçamento, senão não iríamos estar a convocá-los", garantiu Alexandra Leitão no Parlamento. 


Só à mesa, com os parceiros, é que a ministra irá revelar "o que é que vai ser acrescentado aos 0,3%" de aumento já previsto nas contas públicas para este ano.

"Estes 0,3% não me envergonham porque representam uma retoma", insistiu.

A convocatória aos sindicatos surgiu, também, depois de ter sido agendada uma greve nacional para 31 de janeiro. A ministra rejeita que o objetivo da nova ronda negocial tenha sido o de desmarcar o protesto. Os sindicatos reforçam que vão mesmo parar nesse dia.

A Federação de Sindicatos da Administração Pública, a Frente Comum e o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado são também unânimes nas críticas à data escolhida para a reunião.

Pormenores
Jerónimo critica
O líder do PCP, Jerónimo de Sousa, reforçou esta sexta-feira que a proposta do Governo de 0,3% para os salários da Função Pública "não é uma negociação séria com os sindicatos", apelando ao Executivo para reconsiderar em nome da "justiça".

Provas para o Estado
Cerca de 13,5 mil candidatos vão este sábado fazer uma prova de conhecimentos para tentarem integrar a bolsa de recrutamento de técnicos superiores do Estado. O processo foi marcado por falhas, com provas diferentes marcadas para a mesma hora.

ADSE será alargada ainda este este ano
O alargamento da ADSE aos contratos individuais de trabalho do Estado será feito "ao longo de 2020". A garantia foi dada pela ministra Alexandra Leitão, que explicou que os estudos apontam para esse alargamento como uma boa solução para garantir o futuro do subsistema de saúde.

Finanças negam injeção final no Novo Banco
O Governo nega estar a estudar uma solução para acelerar o saneamento do Novo Banco. A posição surgiu em reação à notícia do ‘Público’ que dava conta de que o Executivo estaria a preparar uma injeção final de 1400 milhões de euros, que permitiria concluir a limpeza do banco com poupanças e antes do prazo previsto.

"O Governo não tem nenhuma proposta para análise relativa à estratégia de limpeza dos créditos problemáticos", reagiu.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)