Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Ministério Público aperta cerco a barragem da EDP em Baixo-Sabor

Procuradores querem descobrir quem é o ‘Príncipe’, que terá recebido luvas de 80 mil euros.
António Sérgio Azenha 4 de Novembro de 2020 às 01:30
EDP
EDP FOTO: Reuters
O Ministério Público (MP) notificou a EDP, em 14 de outubro último, para entregar "toda a documentação relativa ao concurso e à adjudicação da barragem do Baixo-Sabor", segundo um despacho que consta nos autos do caso EDP.

Dois dias depois, os procuradores deste inquérito solicitaram ao Novo Banco toda a informação disponível sobre o Grupo Odebrecht, sediado no Brasil, "nomeadamente extratos bancários e eventuais financiamentos concedidos pelo BES".

A barragem do Baixo-Sabor pertence à EDP e começou a ser construída pela Odebrecht e o Grupo Lena, em junho de 2008, no Governo de José Sócrates. Com o pedido dessa documentação, os procuradores do caso EDP estarão a tentar descobrir a identidade da pessoa que terá recebido alegadas luvas da Odebrecht com o código ‘Príncipe’.

Entre setembro de 2008 e março de 2009, o ‘Príncipe’ terá recebido supostos subornos de 3,6 milhões de euros relacionados com a barragem. De março a abril de 2015, o ‘Príncipe’ terá recebido alegadas luvas de 800 mil euros.

O MP suspeita que esta última verba terá financiado a campanha eleitoral de 2015 de Pedro Passos Coelho.
Ver comentários