Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Preços das casas enfrentam travão

Valor mediano por metro quadrado igual a agosto, nos 1128 euros.
Wilson Ledo 29 de Outubro de 2020 às 08:36
Lisboa
Lisboa FOTO: João Cortesão
A avaliação feita pelos bancos às casas – essencial à concessão de empréstimos – manteve-se nos 1128 euros por metro quadrado em setembro, sem qualquer variação face a agosto. Os números foram revelados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Feita a comparação homóloga, assiste-se a uma subida de 62 euros ou 5,8%. Este ritmo de crescimento comprova uma desaceleração no indicador desde a chegada da pandemia ao País. Até março, o ritmo era praticamente o dobro, com o preço do metro quadrado a evoluir a dois dígitos. Em agosto, estava nos 7%.

A desaceleração é notória tanto em moradias como em apartamentos, com destaque para o último formato. Se até março registava evoluções acima dos 10%, em setembro fica-se pelos 7,1% homólogos: isto é, mais 82 euros, para 1233 euros por metro quadrado. Nas moradias, os preços da avaliação bancária chegaram a acelerar em maio e junho. Seguiram depois em queda até setembro, quando se registou o crescimento homólogo mais baixo deste ano: mais 4,3% ou 39 euros, para os 953 euros por metro quadrado.

O INE destaca ainda que Lisboa e Algarve têm preços que podem ser mais de 30% superiores à mediana nacional, rondado os 1500 euros por metro quadrado. Também Madeira e Alentejo Litoral estão acima dos valores de referência do País.

Em setembro, os bancos fizeram mais avaliações perante os pedidos de crédito para a compra de casa, com 23 711 análises, mais 3% do que há um ano.
Ver comentários