Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Protesto na TAP: Polícia faz sair 250 carros em 20 minutos

Os carros que estavam retidos no edifício da TAP, no aeroporto de Lisboa, devido à manifestação dos trabalhadores de manutenção da companhia, desta sexta-feira, começaram a sair do local pelas 20h30, contando com a intervenção policial para o efeito.
27 de Janeiro de 2012 às 21:03
Trabalhadores brindaram com vaias quem tentou entrar ou sair pelos portões
Trabalhadores da transportadora fecharam, nesta tarde, os portões de acesso ao edifício da empresa
O protesto em curso não afectou os voos da TAP, pois não envolve pilotos, tripulantes e pessoal de terra
Protesto começou de forma 'espontânea' e os aderentes foram-se multiplicando ao longo da tarde
Circulação esteve muito lenta junto ao local do protesto
Polícia teve de disciplinar as saídas dos carros do local
Trabalhadores estiveram frente à entrada do edifício da companhia área em protesto contra os cortes salariais e a suspensão dos subsídios de férias e Natal
Vários agentes da PSP encontraram-se no local, mas limitaram-se a tentar fazer fluir o tráfego na rua que dá acesso à sede
Trabalhadores brindaram com vaias quem tentou entrar ou sair pelos portões
Trabalhadores da transportadora fecharam, nesta tarde, os portões de acesso ao edifício da empresa
O protesto em curso não afectou os voos da TAP, pois não envolve pilotos, tripulantes e pessoal de terra
Protesto começou de forma 'espontânea' e os aderentes foram-se multiplicando ao longo da tarde
Circulação esteve muito lenta junto ao local do protesto
Polícia teve de disciplinar as saídas dos carros do local
Trabalhadores estiveram frente à entrada do edifício da companhia área em protesto contra os cortes salariais e a suspensão dos subsídios de férias e Natal
Vários agentes da PSP encontraram-se no local, mas limitaram-se a tentar fazer fluir o tráfego na rua que dá acesso à sede
Trabalhadores brindaram com vaias quem tentou entrar ou sair pelos portões
Trabalhadores da transportadora fecharam, nesta tarde, os portões de acesso ao edifício da empresa
O protesto em curso não afectou os voos da TAP, pois não envolve pilotos, tripulantes e pessoal de terra
Protesto começou de forma 'espontânea' e os aderentes foram-se multiplicando ao longo da tarde
Circulação esteve muito lenta junto ao local do protesto
Polícia teve de disciplinar as saídas dos carros do local
Trabalhadores estiveram frente à entrada do edifício da companhia área em protesto contra os cortes salariais e a suspensão dos subsídios de férias e Natal
Vários agentes da PSP encontraram-se no local, mas limitaram-se a tentar fazer fluir o tráfego na rua que dá acesso à sede

Segundo contabilizou o CM no local, em 20 minutos saíram 250 carros, mas nenhum com pessoal da administração.

Já o presidente da TAP, Fernando Pinto, foi visto a sair do local um pouco antes, mas a pé, tendo depois ido ter com o motorista que o aguardava num veículo.

A polícia continua pelas 21h00 à porta da TAP, ainda a disciplinar as saídas dos carros do local.

Os trabalhadores da transportadora fecharam, nesta tarde, os portões de acesso ao edifício da empresa, abrindo-os minutos depois e limitando as entradas e saídas do edifício, que se fizeram a um ritmo lento.

Cerca de 500 funcionários da TAP estiveram concentrados em frente à entrada do edifício da companhia área em protesto contra os cortes salariais e a suspensão dos subsídios de férias e Natal.

tap fernando pinto carro portela lisboa aviação manifestação manif protesto
Ver comentários