Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Quase metade das reservas em hotelaria foram canceladas em 2020

Lisboa foi a mais afetada pelos cancelamentos, bem como a Região Autónoma da Madeira e o Centro.
Lusa 3 de Março de 2021 às 13:23
Hotel
Hotel FOTO: Marisa Cardoso
Quase metade das reservas na hotelaria foram canceladas no ano passado, em média a nível nacional, sobretudo no segundo trimestre, quando os cancelamentos subiram para 60% a 100%, segundo um inquérito da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP).

De acordo com o inquérito "Balanço 2020 & Perspetivas 2021", apresentado esta quarta-feira aos jornalistas pela presidente executiva da AHP, Cristina Siza Vieira, a média nacional de cancelamentos de reservas na hotelaria foi de 48% no ano passado.

"O grosso dos cancelamentos ocorreu no segundo trimestre, com o primeiro confinamento a bater-nos forte", período no qual 80% dos inquiridos disse ter tido cancelamentos entre os 60% e os 100%.

Por regiões, naquele período Lisboa foi a mais afetada pelos cancelamentos, bem como a Região Autónoma da Madeira e o Centro.

"Os cancelamentos são muito sérios e os que não são cancelados, são reservas no papel, porque são reembolsáveis", disse Cristina Siza Vieira.

Segundo os dados recolhidos pela AHP, em 2020 61% dos clientes da hotelaria optou por fazer reservas reembolsáveis.

A responsável sublinhou que "o tempo das reservas 'non-refundable' [não reembolsáveis], para já, está metido no congelador, ou terminou", o que significa que, mesmo quando as reservas são sinalizadas, os hotéis não podem contar com o valor correspondente, que podem vir a ter de devolver.

"Isto dá uma instabilidade brutal, quer na operação, [...] quer na tesouraria", salientou a presidente executiva da associação.

Segundo um inquérito realizado pela AHP em abril, até àquele momento, a maioria das reservas foram canceladas com reagendamento para outra data, ou com a emissão de um 'voucher' com validade de um ano.

No entanto, em abril saiu a chamada lei dos 'vouchers', que determinou que não podia ser imposta aos clientes da hotelaria a aceitação de um vale, em vez do reembolso.

O inquérito foi realizado entre 04 e 28 de fevereiro, pelo Gabinete de Estudos e Estatística da AHP, junto dos empreendimentos turísticos associados e aderentes ao AHP Tourism Monitors, de todas as regiões do país.

Ver comentários