Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Falta de deputados do PS trava relatório da Caixa

Dois deputados do PS não estiveram presentes na votação e direita conseguiu rejeitar conclusões da comissão.
Bruno de Castro Ferreira 19 de Julho de 2017 às 01:30
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
António Domingues
A comissão de inquérito sobre a gestão da Caixa Geral de Depósitos desde 2000 terminou ontem de forma inusitada num dia em que António Domingues reiterou a existência de SMS que lhe prometiam que ficaria fora do estatuto do gestor público.

Depois de o ex-presidente do banco público falar aos deputados, quando chegou a hora da votação dois elementos do PS estavam fora da sala. Ou seja, esquerda e direita tinham o mesmo número de deputados na comissão: sete do PSD e CDS e outros sete do PS, BE e PCP. Como a votação é uninominal, o empate fez com que as conclusões, que seriam aprovadas apenas com os votos da esquerda, acabassem chumbadas.

Ouvido ao longo de duas horas, Domingues reiterou que existem mensagens que provam que o Governo acordou isentar a administração da obrigação de apresentar declaração de rendimento e património. "Se há SMS trocados entre mim, o ministro e o secretário de Estado? Há", disse o gestor.

"Não fiz segredo sobre essas comunicações. Os SMS estão no meu telemóvel e nunca ninguém os viu, a não ser eu e os meus interlocutores", rematou.

A publicação de "informações no Correio da Manhã e noutros jornais" relativas ao património de Domingues era "a principal dificuldade" que o gestor tinha. "Deixei isso absolutamente claro", disse Domingues.

PSD fala em conluio na Geringonça
Luís Montenegro acusou "António Costa, Catarina Martins e Jerónimo de Sousa de serem os responsáveis pelo maior branqueamento de apuramento e escrutínio político da nossa democracia" no âmbito da comissão de inquérito à nomeação de António Domingues para a CGD.

Sérgio Monteiro já ganhou 500 mil euros
O ex-secretário de Estado dos Transportes de Passos Coelho que está a gerir o processo de venda do Novo Banco vai receber mais 30 mil euros brutos, perto de 5 mil euros por mês. O contrato divulgado no Portal Base é claro. Sérgio Monteiro vai trabalhar até agosto e receber 30 mil euros mais IVA.

Este é o terceiro contrato de Sérgio Monteiro com o Banco de Portugal. Desde 2015, quando foi contratado, Monteiro já ganhou 487,2 mil €.

SAIBA MAIS 
1876
Caixa Geral de Depósitos foi criada pela Carta de Lei de 10 de abril de 1876, no reinado de D. Luís. A instituição servia para recolher depósitos obrigatórios por lei ou por decisão dos tribunais mas também recebia depósitos voluntários.

Do Calhariz à Av. João XXI
O primeiro edifício-sede da Caixa Geral de Depósitos estava localizado no Calhariz, em 1887. Em 1985 foi lançado o concurso para a construção do atual edifício na Av. João XXI, no Campo Pequeno, ocupado em 1993.
Ver comentários