Barra Cofina

Correio da Manhã

Famosos
3

Ex-Pussycat Doll diz que banda era uma "rede de prostituição"

Cantora revelou que era drogada e que foi abusada sexualmente.
16 de Outubro de 2017 às 20:11
Pussycat Dolls
Kaya Jones, ex-Pussycat Doll
Pussycat Dolls
Kaya Jones, ex-Pussycat Doll
Pussycat Dolls
Kaya Jones, ex-Pussycat Doll

Kaya Jones, ex-membro da da banda The Pussycat Dolls, revelou que foi vítima de abusos sexuais enquanto fazia parte da banda e que o grupo musical não passava de uma rede de prostitutas que cantavam.

"Eu não estava numa girls band, estava numa rede de prostituição. Por acaso cantávamos e éramos, enquanto os nossos ‘donos’ faziam dinheiro connosco", escreveu a cantora na sua conta do Twitter.



A ex-Pussycat Dolls que se juntou ao grupo musical em 2003 e saiu dois anos depois, fez várias revelações chocantes no Twitter durante o tempo em que fazia parte da banda.

"Quiseram silenciar-nos, mas fizeram-nos mais fortes. Drogaram-nos, mas estávamos completamente lúcidas. Tínhamos de dormir com que nos dissessem para dormir", acrescentou Kaya.

Questionada sobre se foi assim tão mau fazer parte do grupo, a cantora diz que foi o suficiente para abandonar os seus sonhos, as colegas e um contrato de 11 milhões de euros.

Robin Antin, fundadora do grupo musical onde Nicole Sherzinger também fazia parte, já reagiu e classificou as declarações de Kaya como "mentiras ridículas" acrescentando que a cantora está à procura dos seus minutos de fama.

Ver comentários