Barra Cofina

Correio da Manhã

Insólitos
6

Coffin Club: O grupo sénior que decora os próprios caixões

Fundado em 2010, o clube que conta com mais de 160 membros, realizou recentemente um documentário musical.
Correio da Manhã 18 de Janeiro de 2020 às 18:00
Coffin Club: Conheça o grupo sénior que decora os próprios caixões
Coffin Club: O grupo sénior que decora os próprios caixões
Coffin Club: Conheça o grupo sénior que decora os próprios caixões
Coffin Club: O grupo sénior que decora os próprios caixões
Coffin Club: Conheça o grupo sénior que decora os próprios caixões
Coffin Club: O grupo sénior que decora os próprios caixões
Coffin Club é o grupo que junta a comunidade sénior da Nova Zelândia, todas as quarta feiras, para decorar caixões e promover o convívio. Este clube foi fundado em 2010 por Katie Williams e atualmente mais de 160 pessoas integram o movimento. 

Este grupo abre portas a todos os integrantes da comunidade sénior que procurem embelezar o seu futuro caixão ou simplesmente 'pôr a conversa em dia'.

Cada membro encomenda um caixão, decora-o a gosto e tenta auxiliar os recém chegados. Neste projeto, a morte é deixada nas mãos de cada um que, entre tintas e brilhantes, abre o coração e conta a sua história de vida. 

O clube tem tido cada vez mais adesão por parte da comunidade e procura desmistificar termos como 'mórbido', 'monotonia' e 'morte'. Cada reunião tem, geralmente, entre 50 a 60 pessoas e prolonga-se para lanches, chás ou jantares em grupo.  

Katie Williams, fundadora do clube, contou à National Geographic que esta ideia surgiu durante um movimento internacional criado na Nova Zelândia. Conhecido como universidade da terceira idade, este projeto é dedicado a reformados e semi-reformados que têm como objetivo expandir horizontes e conhecer novas pessoas.

A fundadora explicou que muitos dos integrantes se juntam ao grupo após perderem os seus companheiros e que a sua vinda não se limita apenas à decoração do caixão, mas sim ao convívio e partilha de histórias.

Recentemente o clube realizou um documentário musical publicado no Youtube que tem como principal objetivo demonstrar a visão dos membros perante a forma como um fúneral deve ser encarado bem como a morte.

Katie Williams afirmou ainda que, durante as filmagens do documentário, os membros se tornaram mais unidos e com mais abertura para falar sobre os seus problemas.

Para a fundadora do Coffin Club, este é um movimento que pretende cosciencializar as pessoas de que não existe idade para a chegada da solidão e que a morte deve ser celebrada tão efusivamente como a vida.
Coffin Club Nova Zelândia Katie Williams questões sociais morte política caixões decorações insólito
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)