Barra Cofina

Correio da Manhã

Insólitos
9

Falsos médicos detidos a prepararem-se para comer testículos de paciente castrado

Polícia encontrou órgãos guardados no frigorífico e instrumentos cirúrgicos ensanguentados.
Correio da Manhã 25 de Outubro de 2020 às 18:49
Bob Lee Allen e Thomas Evans Gates foram detidos por se fazerem passar por médicos
Bob Lee Allen e Thomas Evans Gates foram detidos por se fazerem passar por médicos
Bob Lee Allen e Thomas Evans Gates foram detidos por se fazerem passar por médicos
Bob Lee Allen e Thomas Evans Gates foram detidos por se fazerem passar por médicos
Bob Lee Allen e Thomas Evans Gates foram detidos por se fazerem passar por médicos
Bob Lee Allen e Thomas Evans Gates foram detidos por se fazerem passar por médicos

Dois homens foram detidos em Wister, no estado norte-americano do Oklahoma, por se terem feito passar por médicos para castrarem um paciente. Após removerem os testículos do homem, guardaram-nos no frigorífico e, segundo as autoridades preparavam-se para comer os órgãos quando foram detidos.

O alerta foi dado após o paciente, um jovem de 28 anos, aparecer no Hospital McAlester Regional Health Centre a sangrar profusamente da zona genital. Internado de urgência, contou que queria ser sujeito à remoção dos testículos. Procurou num site chamado ‘Eunuchmaker’ e foi contactado por dois homens que disseram ser cirurgiões. Acordaram fazer a operação de forma gratuita mas, em contrapartida pediram ao paciente para ficarem com os testículos removidos.

Numa conversa por Skype, Bob Lee Allen, de 53 anos, disse que ele e o cúmplice, Thomas Evans Gates, de 42 anos, queriam preservar os órgãos para depois os comerem. Relataram que tinham "mais seis pacientes à espera para fazer o mesmo tratamento" e que tinham "o congelador cheio de órgãos humanos".

Segundo apurou a investigação, a ‘operação’ foi feita pelos dois homens, que cobriram uma mesa de madeira com plástico e usaram um bisturi. O procedimento terá demorado duas horas. Quando o paciente acordou, reparou que estava a sangrar abundantemente e pediu que o levassem ao hospital. Em pânico, os dois falsos médicos disseram-lhe que o serviço "não incluía nem morgue nem urgências" e ameaçaram-no, pedindo ao paciente que procurasse ajuda médica mas que dissesse que tinha sido ele mesmo a tratar do procedimento.

Os dois falsos médicos foram apanhados numa ‘armadilha’ montada pela polícia no hospital. Nas buscas feitas à casa de Bob, foram encontrados vários instrumentos cirúrgicos ensanguentados e um par de testículos, que ao que tudo indica, serão da vítima, limpos e preparados num saco de congelação, guardados no frigorífico.

Os dois homens estão acusados de vários crimes de cirurgia sem licença e de causarem "desfiguração permanente" da vítima. Estão em prisão preventiva, sujeitos a uma caução de cerca de 280 mil euros.

Wister Oklahoma Bob Lee Allen crime lei e justiça saúde crime tribunal hospitais medicina prisão
Ver comentários