Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
6

Direito de Resposta do Hospital de Santarém

A propósito da notícia 'Morre por falta de pilha para pacemaker e é chamado de urgência pelo hospital um dia após funeral'.
12 de Julho de 2021 às 00:30
Na sequência da notícia veiculada pelo Correio da Manhã, no dia 7 de julho de 2021, com o título "Morre por falta de pilha para pacemaker", vem o Hospital Distrital de Santarém (HDS) exercer o seu direito de resposta.

"O utente Dionísio Nascimento deu entrada na urgência a 18 de junho de 2021 e foi observado pela Medicina Interna e pela Cardiologia, tendo sido feitos todos os testes e análises necessários, ficando o utente orientado para efetuar teste Covid, agendado para dia 23 de junho, e de comparecer na Cardiologia do HDS dia 25 de junho para a substituição de Pacemaker. A notícia contém um erro, pois refere que o utente Dionísio Nascimento recebeu alta sem o aparelho ter sido verificado quando, na verdade, e conforme esclarecimento enviado ao jornalista, pouco depois de dar entrada no Serviço de Urgência decidiu interromper a assistência e, apesar de lhe terem sido explicados os riscos, assinou alta contra parecer médico e abandonou a urgência.

A este respeito explica-se ainda que uma vez que o doente faltou ao teste Covid e ao procedimento de Cardiologia (substituição de Pacemaker) agendado para dia 25, e já havia faltado a consulta em dezembro de 2020, o Serviço de Cardiologia entrou em contacto no sentido de enfatizar a importância do procedimento, uma vez que o pacemaker já reunia critérios para substituição. Quando este contacto foi feito, não havia ainda no sistema informação sobre o falecimento do utente. O contacto foi feito para o número do utente, o único existente no sistema, tendo sido um familiar a atender. Assim, o HDS declina qualquer responsabilidade na morte de Dionísio Nascimento, lamentando a sua ocorrência e apresentando as condolências à família enlutada".

Hospital Distrital de Santarém

Ver comentários