Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
7

Hermínio Loureiro: Paixão pela competição

Vice-presidente da FPF, suspeito de corrupção, tem uma ligação ao desporto que vai muito além dos cargos desempenhados
Leonardo Ralha 2 de Julho de 2017 às 15:00
Hermínio Loureiro
Hermínio Loureiro FOTO: Miguel Ganhão

Foi um jogo duro, apesar de os adversários serem agentes da PSP, mas Hermínio Loureiro festejou a vitória da sua equipa, para a qual contribuiu com golos decisivos. "É muito rápido e chuta muito bem", diz Sérgio Vieira, que também representou o grupo parlamentar do PSD na final de um torneio parlamentar de futebol de cinco realizado no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, no final dos anos 90.

O vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que pagou nesta semana uma caução de 60 mil euros para aguardar em liberdade o julgamento por corrupção, peculato e tráfico de influências enquanto liderava a Câmara de Oliveira de Azeméis, ainda hoje demonstra que a ligação ao desporto vai muito além dos cargos que desempenha. O ex-secretário de Estado, ligado à realização do Euro 2004, e que presidiu a Liga de Clubes, mantém aos 51 anos o hábito das ‘futeboladas’ ao sábado com amigos. Ou, noutras ocasiões, com Pauleta e João Vieira Pinto.

Hermínio Loureiro nasceu numa cidade (então vila) com tradição no desporto, sobretudo no hóquei em patins e basquetebol, sendo diretor de Marketing da União Desportiva Oliveirense e membro da comissão diretiva da Liga de Clubes de Basquetebol. Mas também gosta de ténis, futsal, futebol feminino - o "sportinguista dos quatro costados", que pensou ser presidente do clube, seguiu a época perfeita das leoas - e corridas de automóveis.

Até provou o seu valor nas curvas do Autódromo do Estoril, obtendo um honroso 11º lugar na corrida VIP Estoril 2004, dominada pelo empresário Pedro Queiroz Pereira, que nos tempos de piloto era conhecido pela alcunha ‘Pêquêpê’.

MESTRE DA CULINÁRIA
Outra característica destacada pelos mais próximos é a aptidão para a culinária. Na memória dos colegas de bancada ficaram os repastos que o deputado social-democrata fazia na casa arrendada em Lisboa. A sua feijoada é particularmente famosa, mas no livro de receitas que nunca escreveu não há falta de pitéus. "Depois da senhora minha mãe, o melhor cozinheiro que conheci na vida foi o Hermínio", garante Sérgio Vieira.

Curiosamente, a mulher do vice-presidente da FPF, mãe da sua filha adolescente, trabalha na restauração. É gerente do D. Gomado, restaurante do Hotel Dighton, em Oliveira de Azeméis, conhecido dentro e fora do distrito de Aveiro pelas refeições em forno de lenha.

Dedicado à política desde a Juventude Social-Democrata, Hermínio Loureiro foi agente de seguros e funcionário administrativo-financeiro de uma empresa antes de ir para o Parlamento, onde foi acusado de ser "pouco culto a vários níveis" pela deputada do PS Elisa Damião num debate.

Muito próximo de Marques Mendes, mas também de Santana Lopes, deixou em dezembro a Câmara de Oliveira de Azeméis, sem completar o segundo mandato como presidente da terra onde era visto ao volante de um Bentley.
Desporto Futebol Culinária Oliveira de Azeméis Federação Hermínio Loureiro
Ver comentários