Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
6

Luta entre cobridores

O boi do povo nas terras do Barroso é símbolo da vida comunitária, da virilidade, da fertilidade e da força bruta. O Torneio de Chegas da raça barrosã, em Montalegre, é a luta titânica que perpetua esta herança.
31 de Julho de 2011 às 00:00
Por cada vitória nas eliminatórias, o proprietário do boi recebe 500 euros. O dono do campeão 750 euros. A associação etnográfica boi do povo realiza desde há dez anos este torneio, com o apoio da autarquia de Montalegre
As aldeias de Montalegre criavam o boi  do povo para reprodução. Mas os bois comunitários, cobridores por excelência, foram ‘vencidos’ pela  inseminação artificial
O pau de junco serve para castigar, guiar e afagar o boi. Os  donos, e também o público, incitam o animal à luta com o grito de ‘eh, boi!’
Luta entre cobridores
Cada boi pesa cerca de oitocentos quilos. Actualmente, existem registados no concelho de Montalegre cerca de meia centena de bois desta raça
Hoje, as chegas de bois são, na sua maioria, de raças cruzadas. No entanto, ainda se realiza a competição oficial de raça barrosã
Boi do povo era tratado e alimentado pela comunidade; depois representava a aldeia nas chegas. O ‘boi do povo’, tradição em desaparecimento.
Neste ano participaram 12 bois no torneio. A competição realiza-se por eliminatórias. Só disputa a fase seguinte o boi vencedor da chega
Por cada vitória nas eliminatórias, o proprietário do boi recebe 500 euros. O dono do campeão 750 euros. A associação etnográfica boi do povo realiza desde há dez anos este torneio, com o apoio da autarquia de Montalegre
As aldeias de Montalegre criavam o boi  do povo para reprodução. Mas os bois comunitários, cobridores por excelência, foram ‘vencidos’ pela  inseminação artificial
O pau de junco serve para castigar, guiar e afagar o boi. Os  donos, e também o público, incitam o animal à luta com o grito de ‘eh, boi!’
Luta entre cobridores
Cada boi pesa cerca de oitocentos quilos. Actualmente, existem registados no concelho de Montalegre cerca de meia centena de bois desta raça
Hoje, as chegas de bois são, na sua maioria, de raças cruzadas. No entanto, ainda se realiza a competição oficial de raça barrosã
Boi do povo era tratado e alimentado pela comunidade; depois representava a aldeia nas chegas. O ‘boi do povo’, tradição em desaparecimento.
Neste ano participaram 12 bois no torneio. A competição realiza-se por eliminatórias. Só disputa a fase seguinte o boi vencedor da chega
Por cada vitória nas eliminatórias, o proprietário do boi recebe 500 euros. O dono do campeão 750 euros. A associação etnográfica boi do povo realiza desde há dez anos este torneio, com o apoio da autarquia de Montalegre
As aldeias de Montalegre criavam o boi  do povo para reprodução. Mas os bois comunitários, cobridores por excelência, foram ‘vencidos’ pela  inseminação artificial
O pau de junco serve para castigar, guiar e afagar o boi. Os  donos, e também o público, incitam o animal à luta com o grito de ‘eh, boi!’
Luta entre cobridores
Cada boi pesa cerca de oitocentos quilos. Actualmente, existem registados no concelho de Montalegre cerca de meia centena de bois desta raça
Hoje, as chegas de bois são, na sua maioria, de raças cruzadas. No entanto, ainda se realiza a competição oficial de raça barrosã
Boi do povo era tratado e alimentado pela comunidade; depois representava a aldeia nas chegas. O ‘boi do povo’, tradição em desaparecimento.
Neste ano participaram 12 bois no torneio. A competição realiza-se por eliminatórias. Só disputa a fase seguinte o boi vencedor da chega