Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais

Imperial já vende para 45 mercados

Maior fabricante português de chocolate.
Maria João Vieira de Matos 13 de Dezembro de 2015 às 12:00
A Imperial acaba de entrar em dois novos mercados: Indonésia e China
A Imperial acaba de entrar em dois novos mercados: Indonésia e China FOTO: DR
A Imperial é a maior fabricante portuguesa de chocolate. Fundada em 1932, a empresa rapidamente conquistou o mercado nacional com marcas como a Regina, Pintarolas, Jubileu e Pantagruel.

A relação emocional das marcas com os consumidores portugueses ficou especialmente marcada pela máquina de furos da marca Regina. Em 2001, a Imperial começou a internacionalizar-se.

Desde então as vendas cresceram 260%, passando de 7,5 milhões de euros para 27 milhões. Angola e África do Sul são os mercados mais relevantes, mas, no total, a empresa já está presente em 45 países e em 4 continentes, exportando, por exemplo, para o Brasil, Colômbia, EUA, Japão e Arábia Saudita.

Um dos segredos do sucesso é a capacidade de adaptação a novas culturas. Enquanto o Japão requer embalagens mais pequenas, com menos de 60 gramas, o norte-americano obriga a embalagens muito superiores. Já o Brasil pede a introdução de novos ingredientes, como a castanha-do-brasil, e os muçulmanos e judaicos exigem as certificações ‘halal’ e ‘kosher’, respetivamente.

O objetivo da empresa é consolidar as vendas nos mercados onde já está presente. Este ano a Imperial entrou em dois novos mercados: China e Indonésia.

12 milhões em tecnologia
Em 2013, a imperial investiu 12 milhões de euros em tecnologia de última geração. O processo de produção passa por várias etapas.

Depois da refinação, a massa de chocolate é guardada em tanques e pode ter várias aplicações. As novas linhas de produção permitem maior inovação no produto final. O investimento valeu em 2013 o prémio ‘PME Inovação’, atribuído pela COTEC.

"Chocolates sem açúcar nem glúten"
Correio da Manhã – Porquê exportar?
Manuela Tavares de Sousa (CEO) – No Ocidente, mais de 65% do chocolate vende-se no Natal e na Páscoa. Ao exportar para o Oriente combate-se esta sazonalidade.

Como se processa o transporte?
Tem de ser transportado em contentores com uma temperatura média de 18º, o que implica custos acrescidos.

Como é possível estar em tantos mercados?
Com processos de fabrico flexíveis, que permitem produzir produtos diferenciados e adaptados a cada mercado.

Quais os próximos passos?
Produzir chocolates sem açúcar e sem glúten para responder às novas tendências e entrar em novos mercados como a Austrália e a Nova Zelândia.

B.I.
Nome:
Imperial, empresa fundada em 1932
Produto:
chocolate
Vendas em 2014:
27 milhões de euros
Número de trabalhadores:
atualmente, a Imperial conta com 175 trabalhadores
Exportação:
o mercado externo já representa 20% vendas
Principais mercados:
Angola, África do Sul, Polónia, Espanha e EUA
Imperial chocolate Regina Pintarolas Jubileu Pantagruel exportação
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)