Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
7

“Clientes estavam a precisar de nós”

Águeda Matias diz que o negócio ainda está fraco, mas está confiante.
I.J. 10 de Junho de 2020 às 01:30
Águeda Matias diz que o negócio ainda está fraco, mas está confiante
Águeda Matias diz que o negócio ainda está fraco, mas está confiante FOTO: Ricardo Ponte
Trabalhar com a máscara sempre colocada é a alteração mais visível na rotina diária de Águeda Matias, que mantém aberta, com o marido, José Matias, a mercearia Confiança, no centro histórico de Leiria. À entrada na loja, no balcão, há gel desinfetante, que os clientes usam sempre que pretendem servir-se de frutas ou legumes. "Deixámos de levar as caixas para a rua porque toda a gente mexia".

Quando a pandemia se instalou, Águeda Matias receou pela vida do marido, que é de risco, por ter transplantado um rim. Ainda chegaram a fechar a mercearia, mas por pouco tempo. "Os clientes estavam a precisar de nós e dos nossos produtos, por isso voltámos para a loja e ainda bem que o fizemos", diz Águeda Matias, adiantando que as vendas "ainda não voltaram ao ritmo" habitual.

"As pessoas vão saindo aos poucos, o que vale é que temos algumas encomendas para entregar em casa", conta.
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
José Matias Águeda Confiança Leiria questões sociais política autoridades locais
Ver comentários