Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais Sobre
5
Saber mais sobre Carbonária
00:30 | 05/10
Segredo guardado 99 anos

Segredo guardado 99 anos

O esboço da disposição à volta da mesa dos participantes da reunião secreta entre responsáveis das estruturas legais e clandestinas do movimento revolucionário, a 29 de Setembro de 1910, é um dos documentos inéditos reunidos no livro ‘A Maçonaria e a Implantação da República’, a apresentar hoje, ao final da tarde, na Fundação Mário Soares, em Lisboa.
00:00 | 22/03
O clamor do Verão minhoto

O clamor do Verão minhoto

A Tia Benedita, matriarca da família e responsável pela sua sobrevivência no interior do redil do velho miguelismo minhoto, achava que o Verão trazia consigo a devassidão e a pouca-vergonha. Já o disse de outras vezes e com palavras diferentes – mas ela não conhecia a Primavera.
00:00 | 05/10
"O Estado Novo é um interregno"

"O Estado Novo é um interregno"

Vivem a ideologia de dois regimes diferentes mas unem forças na luta pelas liberdades públicas. Ribeiro Telles defende a instituição real como símbolo de continuidade histórica. Medeiros Ferreiras apoia-se na conquista do 25 de Abril para justificar a figura do presidente da República. A propósito da Implantação da República, hoje, 98 anos depois, como monárquico, o arquitecto aceitou entrevistar um republicano, a convite da Domingo
00:00 | 21/09
Economia política

Economia política

O velho Doutor Homem, meu pai, desconfiava do capitalismo – mas menos do que o dr. Salazar, que atribuía ao Mundo moderno todos os defeitos que conhecia (o seu conhecimento do Mundo, aliás, era estreito, conquanto fosse literariamente sóbrio). Educado no catolicismo piedoso de antanho, habituei-me a ser sensível à legião de pobres que vivia no meu país nesses anos – e que hoje se chamam "desfavorecidos" –, atribuindo uma responsabilidade repartida aos ricos, às condições gerais da existência e à falta de educação. <br/><br/>
00:00 | 03/08
Homenagem à Tia Benedita

Homenagem à Tia Benedita

A Tia Benedita tinha com o Verão uma relação controversa que, no fundo, era uma espécie de mal-entendido. Ela julgava que o Verão propiciava uma tendência para a amoralidade – não estava longe da verdade, se bem que a amoralidade não fosse inteiramente reprovável por uma ou duas semanas de pousio.
00:00 | 26/10
Manobras de bastidores

Manobras de bastidores

Mais do que um guia bibliográfico e reflexão sobre as principais teses do Regicídio – o assassinato do monarca D. Carlos e do príncipe real D. Luís Filipe a 1 de Fevereiro de 1908 no Terreiro do Paço, Lisboa – o livro ‘Regicídio – A Contagem Decrescente’ (ed. Zéfiro), de Jorge Morais revela as manobras de bastidores de uma acção minuciosamente planeada e financiada pelos monárquicos dissidentes e pela Carbonária.
Mais notícias