Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais Sobre
1
Saber mais sobre Dcn
00:30 | 13/06
Offshore esconde luvas dos submarinos

Offshore esconde luvas dos submarinos

A Escom, Ltd, sediada no paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas, terá ocultado, segundo o Ministério Público, os beneficiários de eventuais comissões ilegais no negócio dos submersíveis.
00:30 | 24/04
Testas-de-ferro investigados

Testas-de-ferro investigados

Cinco consultores no negócio dos submersíveis são suspeitos de terem servido de veículos para o pagamento de alegadas ‘luvas’ a terceiros.
00:30 | 07/04
Almirante fez pareceres decisivos

Almirante fez pareceres decisivos

Documentos de Rogério d’Oliveira terão influenciado mudança de submarino francês para alemão. Militar diz que nunca fez pressão.
00:00 | 17/12

Manutenção com custo desconhecido

Os dois submarinos adquiridos ao German Submarine Consortium (GSC) em Abril de 2004 não têm contrato de manutenção técnica e o próprio Ministério da Defesa desconhece qual será o custo anual dessas operações de assistência durante os 32 anos de vida útil daqueles navios.
13:00 | 21/07
Alterações de Portas dão novo vencedor

Alterações de Portas dão novo vencedor

A 15 de Abril de 2003, um ano após a tomada de posse do Governo PSD/CDS-PP, Durão Barroso assinou uma resolução que iria provocar uma reviravolta completa no negócio dos submarinos: em Julho de 2001 a francesa Direction des Constructions Navales International (DCN-I) tinha a melhor proposta, com um preço inferior em 32,8 milhões de euros, mas em Novembro de 2003, com a mudança nos métodos de análise das propostas, o Governo adjudicava ao German Submarine Consortium (GSC), por proposta de Paulo Portas, a compra dos navios, com o argumento de que o consórcio alemão tinha uma proposta inferior à francesa em 106 milhões de euros.
02:00 | 21/07
Critério de Portas muda vencedor

Critério de Portas muda vencedor

A 15 de Abril de 2003, um ano após a tomada de posse do Governo PSD/CDS-PP, Durão Barroso assinou uma resolução que iria provocar uma reviravolta completa no negócio dos submarinos: em Julho de 2001 a francesa Direction des Constructions Navales International (DCN-I) tinha a melhor proposta, com um preço inferior em 32,8 milhões de euros, mas em Novembro de 2003, com a mudança nos métodos de análise das propostas, o Governo adjudicava ao German Submarine Consortium (GSC), por proposta de Paulo Portas, a compra dos navios, com o argumento de que o consórcio alemão tinha uma proposta inferior à francesa em 106 milhões de euros.
00:00 | 02/07

Suspeita na falta de contrapartidas

A polémica está instalada. O ex- -dirigente socialista, ex-candidato à liderança do PS e empresário, Henrique Neto, suspeita de “interesses partidários” nos negócios de milhões de euros das contrapartidas para empresas portuguesas da compra de material militar pelo Estado a consórcios estrangeiros.
00:00 | 02/07
EUROPEUS DÃO-NOS SUBMARINOS

EUROPEUS DÃO-NOS SUBMARINOS

A Marinha de Guerra portuguesa poderá vir a receber submarinos espanhóis ou alemães que vão ser abatidos ao efectivo, para colmatar o fim cada vez mais próximo dos navios que ainda servem na nossa Armada, soube o Correio da Manhã.
00:00 | 28/04

NAVIO DE DESEMBARQUE EM JUNHO

O projecto para o navio polivalente logístico (NPL/LPD) ou navio de desembarque terá que ser apresentado até Junho deste ano pelos dois concorrentes seleccionados para a construção dos submarinos para a Armada, segundo soube o Correio da Manhã. A informação foi confirmada pelo Gabinete do Ministro da Defesa.
Mais notícias