Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

África vai precisar de 219 mil milhões de euros para pagar dívida que aumentou com Covid-19

Analistas alertam que países, entre eles Angola e Moçambique, necessitam de financiamento que excede os 20% do PIB.
Paulo Fonte(paulofonte@cmjornal.pt) 8 de Novembro de 2020 às 09:56
Mudança da relação com a Europa pode diminuir corrupção e má governação em África
Mudança da relação com a Europa pode diminuir corrupção e má governação em África FOTO: Reuters
O Instituto Financeiro Internacional, entidade representante dos credores privados a nível mundial, disse este sábado que os países da África subsaariana mais endividados - entre eles Angola e Moçambique - vão precisar de 260 mil milhões de dólares (219 mil milhões de euros) para pagar a dívida.

"Estimamos que as necessidades de financiamento externo em 2021 dos países africanos elegíveis para a Iniciativa da Suspensão do Serviço da Dívida cheguem a 127 mil milhões de dólares [107 mil milhões de euros], representando 9,7% do PIB, ligeiramente abaixo dos 133 mil milhões de dólares [112 mil milhões de euros] necessários este ano", dizem os credores. Angola, Burundi, Libéria, Maláui, Níger, Moçambique e Zâmbia precisam de financiamento que excede os 20% do PIB, alertam os analistas, acrescentando que "os pagamentos do serviço da dívida chegam a metade das necessidades de financiamento em 2021 e 2022".

Itália pode estender o confinamento
O Governo italiano avalia nas próximas horas a evolução dos dados e poderá estender o confinamento a outras regiões do país, para além das quatro atuais, afirmou o ministro da Saúde, Roberto Speranza. Lombardia, Piamonte, Vale D’Aosta e Calábria encontram-se em confinamento desde sexta-feira.

China aprova testes para resultado rápido
O regulador nacional de produtos médicos da China aprovou dois kits de teste de antigénio que podem detetar a Covid e fornecer resultados em 20 minutos. Desenvolvidos por duas empresas de biotecnologia em Guangzhou e Pequim, são os primeiros testes de antigénio aprovados no país para o coronavírus.

RADAR COVID
Córnea é resistente
A transmissão do coronavírus dá-se, sobretudo, nas vias respiratórias. Ainda assim, no rosto existe uma zona que pode ser resistente, conclui um estudo da Universidade de Washington, em St. Louis, EUA. Resultados dizem que a córnea não permite a multiplicação do vírus.

Mutação em visons
A Organização Mundial de Saúde afirmou que a mutação do novo coronavírus encontrada em visons e em alguns seres humanos não parece comportar-se de forma diferente, mas admitiu que é demasiado cedo para conclusões definitivas.

Um composto eficaz
Investigadores detetaram um elemento na geração da vitamina D que é eficaz contra o coronavírus. Trata-se do calcifediol, um composto que atua como um precursor para a geração de vitamina D em níveis que nem os alimentos nem o Sol podem atingir. É produzido no fígado e ativa o sistema imunitário.

Spray nasal trava Covid em furões
Cientistas testaram com êxito em furões um spray que bloqueia o coronavírus no nariz e nos pulmões. É esperado agora que o tratamento seja estudado em humanos. A investigação cabe a cientistas das universidades de Colúmbia e de Cornell, nos EUA, e do Centro Médico da Universidade Erasmus, Holanda.
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários