Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Cabo Verde aprova uso obrigatório de máscara em todos os espaços públicos

Medida prevê multas até 135 euros para os infratores.
Lusa 16 de Outubro de 2020 às 23:44
Máscaras
Máscaras FOTO: Mariline Alves
O parlamento cabo-verdiano aprovou esta sexta-feira, por unanimidade, a "utilização obrigatória" de máscara para quem circula ou permanece em todos os espaços públicos do arquipélago, para conter a transmissão de covid-19, prevendo multas até 135 euros.

A proposta de lei foi levada pelo Governo, com caráter de urgência, à sessão parlamentar ordinária que terminou esta sexta-feira, na Assembleia Nacional, na Praia, alargando a obrigatoriedade do uso de máscara facial - que já se aplicava desde maio nos transportes públicos e no interior das empresas - a todos os espaços públicos, incluindo na via pública, independentemente do tipo de atividade.

O diploma legal foi aprovado na generalidade e na globalidade, por unanimidade, após consensualização entre o Governo e os deputados.

Ficam de fora desta obrigação os menores de 10 anos e pessoas com problemas de saúde, aplicando-se a mesma em todo o território nacional, a pessoas em situação de contacto próximo na via pública que não partilhem a mesma residência, embora com exceções também para a prática de educação física com distanciamento social e prática de etiqueta respiratória.

Este regime, que entrará em vigor no sétimo dia seguinte à publicação em Boletim Oficial, vai substituir ainda o que estava em vigor desde 02 de setembro, cujo decreto-lei estipulava o uso de máscara facial nos espaços públicos como um "dever cívico de todos os cidadãos" e que "a atuação das forças e serviços de segurança" teria apenas "caráter pedagógico e orientador".

Ao apresentar o texto final da proposta, após as alterações ao documento inicial do Governo, o ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, apontou que a violação desta regra implicará um processo contraordenacional com uma multa de 1.500 a 15.000 escudos (13,5 a 135 euros) e o produto das coimas consignado ao combate e prevenção à covid-19.

Após várias sugestões à proposta do Governo, os grupos parlamentares do MpD (maioria), e PAICV e os deputados da UCID, descreveram, globalmente, a medida como oportuna e necessária.

A obrigatoriedade do uso de máscara nos espaços públicos será válida "enquanto estiver em vigor" o estado de contingência ou calamidade em Cabo Verde, decretados desde março devido à pandemia de covid-19, e que depende da evolução da situação epidemiológica, e face ao "grau crescente" de contaminação, sendo descrita como uma medida "provisória", mas "necessária", para assegurar a proteção da comunidade, com reavaliação permanente.

A intenção de passar a obrigar ao uso de máscara facial também na via pública já tinha sido anunciada pelo Governo em agosto, mas a medida acabou por transitar para decisão da Assembleia Nacional, nesta primeira sessão parlamentar após o período de férias.

Cabo Verde registou nas últimas 24 horas mais três mortes associadas ao novo coronavírus, elevando para 82 o número de óbitos no país, que contabilizou mais 84 novos casos positivos nas últimas 24 horas, segundo dados tornados públicos pelo Ministério da Saúde.

Com os dados desta sexta-feira, o país passou a contabilizar um acumulado de 7.526 casos positivos desde 19 de março, distribuídos por todos os 22 municípios.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e noventa e nove mil mortos e quase 39 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Cabo Verde Assembleia Nacional Governo política parlamento questões sociais pandemia coronavírus covid19
Ver comentários