Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Empresa gestora de porto moçambicano diz que proíbe descarga de nitrato de amónio a granel

Entidade diz que desconhecia a operação de um navio cuja carga poderá ter provocado explosões no Líbano.
Lusa 6 de Agosto de 2020 às 22:05
Nitrato de amónio
Nitrato de amónio FOTO: Getty Images
A empresa gestora do porto moçambicano da Beira esclareceu esta quinta-feira que proíbe descargas a granel de nitrato de amónio nas suas instalações, reiterando que desconhecia a operação de um navio cuja carga poderá ter provocado explosões no Líbano.

"No caso concreto do Porto da Beira, é expressamente proibida a descarga a granel e o seu acondicionamento em armazéns do operador portuário", lê-se numa nota de esclarecimento da Cornelder distribuída esta quinta-feira à comunicação social.

Neste documento, a empresa reitera que não teve conhecimento que o navio que transportava 2.750 toneladas de nitrato de amónio, carga que poderá ter provocado as explosões no porto de Beirute, na terça-feira, tinha como destino Moçambique.

Beira Líbano economia negócios e finanças transportes transporte marítimo e fluvial nitrato de amónio
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)