Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Governo da Guiné-Bissau adia início do ano letivo para 5 de outubro

Em causa estão as chuvas torrenciais e a falta de condições para prevenção da covid-19 nos estabelecimentos de ensino.
Lusa 14 de Setembro de 2020 às 13:00
Alunos na escola em África
Alunos na escola em África FOTO: Direitos Reservados / Pixabay
O Ministério da Educação da Guiné-Bissau adiou para 05 de outubro o início do ano letivo devido às chuvas torrenciais e por não estarem ainda reunidas as condições para prevenção da covid-19 nos estabelecimentos de ensino.

"Todas as instituições do ensino básico e secundário (públicas, privadas e comunitárias) em todo o território nacional devem obrigatoriamente cumprir a data", refere um despacho do Ministério da Educação.

Segundo o despacho, as instituições do ensino básico e secundário devem também cumprir com todas as indicações constantes no Plano de Contingência do Setor Educativo, recomendações do Alto Comissariado para a Covid-19 e das autoridades sanitárias "sob pena de serem sancionadas nos termos da lei".

A decisão do Ministério da Educação foi divulgada após uma reunião no sábado que juntou as associações de pais e encarregados de educação, federação das escolas privadas, organizações sindicais do setor e associações de estudantes e da juventude.

Segundo os últimos dados divulgados pelo Alto Comissariado para a Covid-19, a Guiné-Bissau regista 2.275 casos acumulados de covid-19, incluindo 39 mortos.

Os primeiros casos de covid-19 na Guiné-Bissau foram registados em março.

O Governo da Guiné-Bissau declarou a semana passada, no âmbito do combate à pandemia provocada pelo novo coronavírus, a situação de calamidade e de emergência na saúde no país até dezembro.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários