Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Governo moçambicano vai realizar inquérito sobre resiliência de infraestruturas em Tete

Anúncio foi feito pelo ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural.
Lusa 28 de Janeiro de 2022 às 08:00
Tempestade Moçambique
Tempestade Moçambique FOTO: ANDRÉ CATUEIRA
O Governo moçambicano vai realizar um inquérito em Tete, no centro do país, para apurar as causas da falta de resiliência das infraestruturas afetadas pela tempestade tropical Ana naquela província, anunciou o ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural.

O inquérito vai servir para "perceber em que medida as infraestruturas não foram resilientes o suficiente ou capazes de resistir à água", disse Celso Correia, após visitas ao terreno, na quinta-feira, liderando a equipa de monitorização dos impactos da tempestade Ana em Tete.

Segundo o ministro, caso se confirme que a natureza foi mais forte em relação à capacidade de resiliência das infraestruturas, o Governo terá de "trabalhar para a sua melhor adaptação", considerando que as intempéries estão "cada vez mais frequentes e intensas".

"Trata-se de um trabalho contínuo e permanente que deve ser feito para termos a certeza de que somos um país adaptado a esses fenómenos extremos das mudanças climáticas", destacou.

A tempestade tropical Ana atingiu diretamente o país entre segunda e quarta-feira, mas, apesar de já ter enfraquecido e avançado para outros países (Zimbabué e Zâmbia), as chuvas intensas alimentaram o caudal de todos os rios no centro e no norte de Moçambique, o que continua a provocar inundações.

A intempérie afetou mais de 45.000 pessoas, havendo mais de 10.000 habitações, 12 unidades de saúde e 346 salas de aula (137 escolas) total ou parcialmente destruídas no centro e norte de Moçambique.

De acordo com dados das autoridades locais e do Instituto Nacional de Gestão de Desastres (INGD), pelo menos 20 pessoas terão morrido com a tempestade, embora relatos da população nas zonas afetadas apontem para um balanço de vítimas ainda maior, por registar.

Ver comentários