Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Início das aulas presenciais na Praia adiado para depois de 31 de outubro

Cabo Verde contabiliza, desde 19 de março, um acumulado de 5.701 casos de covid-19, com 56 mortos.
Lusa 27 de Setembro de 2020 às 09:48
Coronavírus em Cabo Verde
Coronavírus em Cabo Verde FOTO: Lusa
O Governo de Cabo Verde adiou para "depois de 31 de outubro" o início das aulas presenciais na cidade da Praia, devido à evolução da pandemia de covid-19 na capital cabo-verdiana, foi hoje anunciado.

Em comunicado, o Ministério da Educação refere que a decisão foi tomada durante uma sessão extraordinária do Conselho de Ministros, realizada no sábado, mas prevendo manter o arranque das aulas, no restante país, como previsto, em 01 de outubro.

"Tomando em consideração a evolução da pandemia na cidade da Praia, o Governo entendeu que não existem condições para iniciar as aulas presenciais, pelo que, neste concelho, o início das aulas será apenas à distância", lê-se no comunicado.

O Ministério da Educação acrescenta que foi decidido "adiar o início das aulas presenciais no município da Praia para depois de 31 de outubro, após a avaliação das condições sanitária".

Cabo Verde contabiliza, desde 19 de março, um acumulado de 5.701 casos de covid-19, com 56 mortos. Desse total, 3.422 casos são na Praia, com 35 mortos na capital desde o início da pandemia, segundo dados do Ministério da Saúde.

Durante a sessão extraordinária do Conselho de Ministros deste sábado, o Governo aprovou uma resolução que define as medidas excecionais e temporárias para a organização e o funcionamento do ano letivo 2020/2021, no âmbito da pandemia da covid-19, "que devem ser adotadas nos estabelecimentos de educação pré-escolar e do ensino básico e secundário".

A resolução define "os princípios orientadores para o funcionamento educativo", garantindo "por um lado, a biossegurança das operações e, por outro lado, o cumprimento das normas determinadas pelo Governo".

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 993.438 mortos e cerca de 32,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ver comentários