Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Luanda precisa de mais 1.800 autocarros para conseguir responder à mobilidade urbana

Capital angolana tem sete milhões de habitantes e tem apenas uma transportadora pública.
21 de Fevereiro de 2019 às 18:03
Angola, Luanda
Luanda
Luanda, Angola
Bandeira de Angola
Angola, Luanda
Luanda
Luanda, Angola
Bandeira de Angola
Angola, Luanda
Luanda
Luanda, Angola
Bandeira de Angola
Luanda precisa de mais 1.800 autocarros para responder à mobilidade urbana de uma capital com cerca de sete milhões de habitantes. Segundo o diretor do gabinete provincial dos Transportes, Trânsito e Mobilidade Urbana de Luanda, Amadeu Campos, a capital de Angola é composta por apenas uma frota de 213 autocarros. 

Ao discursar na 1.ª Conferência Internacional sobre a Mobilidade, na cidade, o diretor revelou que além das lacunas referentes à rede de transportes, a tarifa dos autocarros não é revista há 13 anos, ou seja, desde 2006, e avançou ser urgente tomar medidas para que a situação se alterasse. 

O Governo angolano assumiu esta quinta-feira que a província de Luanda tem uma rede de transportes urbanos ainda muito aquém das necessidades da capital. "O número de transportes públicos existentes na cidade de Luanda apenas supre as necessidades de 15% dos seus habitantes", disse Amadeu Campos, citado pela Televisão Pública Angolana.

"Identificar Desafios, Procurar Soluções" é o mote da 1ª conferência sobre a mobilidade, que junta vários especialistas nacionais e estrangeiros onde o principal objetivo é criar soluções e promover estratégias que combatam a débil da rede de mobilidade angolana.
Mobilidade Urbana Trânsito Procurar Soluções Luanda Desafios economia negócios e finanças questões sociais
Ver comentários