Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Número de casos positivos de coronavírus em Angola sobe depois de 9 dias sem registo de novos doentes

Contam-se ainda dois óbitos, seis recuperados e 16 ativos, encontrando-se 446 pessoas em quarentena institucional.
Lusa 18 de Abril de 2020 às 23:28
Hospitais preparados para receber casos suspeitos de coronavírus em Angola
Hospitais preparados para receber casos suspeitos de coronavírus em Angola FOTO: Ampe Rogério / EPA
A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, anunciou este sábado a existência de cinco novos casos de infeção por coronavirus em Angola, elevando para 24 o número total, depois de nove dias sem registar novos doentes.

A informação foi divulgada este sábado numa conferência de imprensa em que foi feito o balanço diário relativo à pandemia de covid-19 em Angola.

Os casos são relativos a cidadãos com idades entre 18 e 35 anos, dos quais quatro do sexo masculino e um de sexo feminino.

Entre os 24 casos identificados contam-se dois óbitos, seis recuperados e 16 ativos, encontrando-se 446 pessoas em quarentena institucional.

A ministra da Saúde indiciou que os novos casos são relativos a cidadãos angolanos que regressaram "num humanitário", proveniente de Portugal.

"Recebemos cidadãos angolanos num voo que chegou no dia 21" de março, tendo saído de Portugal no dia 20, adiantou Sílvia Lutucuta, sublinhando que os passageiros estiveram em quarentena institucional, distribuídos pelos centros Calumbo I e II e pelos hotéis Victoria Garden e Infotur.

Os casos mais recentes terão estado em contacto com dois doentes identificados no dia 2 de abril, no hotel Infotur no Kilamba, onde um grupo de jovens não terá cumprido as normas de quarentena.

"Tivemos um grupo de jovens no Infotur do Kilamba, que, apesar das melhores condições de quarentena institucional e informados sobre as regras de isolamento, muitos não cumpriram as normas, apesar de todas as boas condições que foram oferecidas", destacou a governante, salientando que "foi uma quarentena desafiante" em relação a estes jovens.

"Ficámos numa situação ambígua, não podemos considerar se são casos de transmissão local ou importados porque a circunstância é que vieram no dia 21, alguns não cumpriram com as regras, quebraram as barreiras, conviveram uns com os outros e houve transmissão da covid-19", detalhou Sílvia Lutucuta.

O número de mortes provocadas pela covid-19 em África ultrapassou as 1000 nas últimas horas, com quase 20 mil casos registados em 52 países, revela a última atualização dos dados da pandemia naquele continente.

Segundo o boletim do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas, o número de mortes registadas subiu de 961 para 1.016, enquanto as infeções aumentaram de 18.333 para 19.895.

A África do Sul tem o maior número de casos (2.783), com 50 mortos, mas o maior número de vítimas mortais regista-se na Argélia (364), em 2.418 infetados.

O Egito tem 2.844 infetados e 205 mortos, enquanto Marrocos totaliza 2.564 casos e 135 vítimas mortais.

Entre os países africanos lusófonos, Cabo Verde lidera em número de infeções, com 56 casos e uma morte.

A Guiné-Bissau contabiliza 50 pessoas infetadas pelo novo coronavírus e Moçambique tem 34 casos declarados da doença.

São Tomé e Príncipe, o último país africano de língua portuguesa a detetar a doença no seu território, tem quatro casos.

Na Guiné Equatorial, que integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), estão confirmados 51 casos positivos de infeção.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 150 mil mortos e infetou mais de 2,2 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 483 mil doentes foram considerados curados.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)