Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

OMS cautelosa sobre "produtos promissores" contra Covid-19 apresentados na República Democrática do Congo

"A vacina é uma obrigação. Mas também favorecemos o tratamento curativo", afirmou o presidente do país, Félix Tshisekedi.
Lusa 22 de Janeiro de 2021 às 17:30
Criança lava as mãos com gel desinfetante
Criança lava as mãos com gel desinfetante FOTO: Getty Images
Os dois "produtos congoleses" anunciados pelo Presidente da República Democrática do Congo (RDCongo), Félix Tshisekedi, como "promissores contra a covid-19" suscitaram uma resposta cautelosa por parte da Organização Mundial de Saúde (OMS).

"A vacina é uma obrigação. Mas também favorecemos o tratamento curativo. Penso que temos dois produtos que prometem, pelo menos pelos resultados iniciais que apresentam. São produtos congoleses. Vamos promovê-los", disse o chefe de Estado a 11 de janeiro.

Um destes produtos, o "Manacovid", é vendido nas farmácias Kinshasa sem receita médica por 110 dólares (pouco mais de 90 euros) o frasco, segundo uma reportagem da AFP em dezembro, uma soma astronómica num país onde dois terços da população vivem com menos de dois dólares por dia.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários