Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Portuguesa assassinada na África do Sul durante assalto violento

Mulher não resistiu aos ferimentos que sofreu por parte dos assaltantes durante um violento assalto em Vryheid.
Correio da Manhã 21 de Setembro de 2020 às 20:02
Polícia na África do Sul
Polícia na África do Sul FOTO: Getty Images
Uma portuguesa de 63 anos foi violentamente agredida num assalto à mão armada à sua residência no norte do KwaZulu-Natal, África do Sul, acabando por morrer no hospital, disse hoje o cônsul honorário de Portugal em Durban.

Segundo Elias de Sousa, "vários indivíduos assaltaram a casa" da mulher, que foi violada, tendo sido transportada ainda com vida para o hospital, onde acabou por morrer.

O cônsul honorário adiantou à agência Lusa que o crime ocorreu na semana passada, tendo a cidadã portuguesa morrido no sábado.

O cônsul honorário de Portugal em Durban explicou que a vítima, Filomena Santos, residia em Vryheid, uma pequena cidade mineira a cerca de 350 quilómetros a norte de Durban, capital da província litoral do KwaZulu-Natal.

"No passado havia lá alguns portugueses, recentemente há muito poucos e daí a dificuldade em recebermos notícias atuais", salientou.

De acordo com Elias de Sousa, a família da vítima era natural de Leiria, na região Centro de Portugal, como também revelou o Jornal da Madeira, que avançou com a notícia.

"Os pais eram de Leiria e é muito natural que [Filomena Santos] tivesse nascido cá [na África do Sul]", referiu, acrescentando que Filomena Santos e a mãe "estão registadas aqui no consulado em Durban".

O cônsul honorário reconheceu que a "maior preocupação neste momento é o funeral" da mulher, que "vivia sozinha" e com "muitas dificuldades".

"Duas senhoras que vieram cá ao consulado lamentaram o facto de saberem que a senhora precisava de ser ajudada, mas que ela não queria receber nada da comunidade portuguesa", referiu Elias de Sousa.

Contactado pela Lusa, o comandante da esquadra da Polícia de Vryheid, B.B. Ndlovu, disse na segunda-feira não ter registo do crime.

"Desconheço a ocorrência, não foi reportada à nossa esquadra", salientou à Lusa o agente policial sul-africano.

África do Sul Vryheid questões sociais demografia crime homicidio assalto
Ver comentários