Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Presidente de Angola pede "cessar-fogo incondicional" porque o mundo "não suporta" a guerra

Chefe de Estado angolano falou sobre a guerra na Ucrânia durante Conferência dos Oceanos das Nações Unidas.
Lusa 27 de Junho de 2022 às 12:36
João Lourenço, presidente de Angola
João Lourenço, presidente de Angola FOTO: Getty Images
O Presidente de Angola, João Lourenço, instou esta segunda-feira a comunidade internacional a procurar um cessar-fogo incondicional na guerra entre Moscovo e Kiev, defendendo que "o mundo não suporta" um conflito "no coração da Europa".

"Num momento em que não se conseguiu ainda superar a tensão reinante no Sudeste Asiático, na península coreana nem no Golfo Pérsico, qualquer uma delas com potencial de evoluir para uma confrontação nuclear, o mundo já não suporta o eclodir e manutenção de um novo conflito em pleno coração da Europa pelas consequências que tem para a economia global, mas sobretudo para a paz e a segurança mundial", disse o chefe de Estado angolano ao intervir no plenário da Conferência dos Oceanos das Nações Unidas, que hoje começou em Lisboa.

Num discurso em que se concentrava na importância dos "oceanos, dos mares e das infraestruturas terrestres a eles ligados", como os portos comerciais, João Lourenço exemplificou que o bloqueio dos portos ucranianos no Mar Negro "está a causar a crise alimentar global" atual, devido à escassez de cereais, fertilizantes e oleaginosas.

João Lourenço Moscovo Europa Kiev política distúrbios guerras e conflitos diplomacia conflitos (geral)
Ver comentários
}