Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Tempestade em Moçambique arrasta 20 pessoas para a morte

Região em alerta para a passagem de uma nova depressão este fim de semana.
Manuela Guerreiro 29 de Janeiro de 2022 às 09:23
Passagem da tempestade ‘Ana’ deixou um rasto de destruição em várias províncias do Norte e Centro de Moçambique
Crianças do Malawi após inundação
Crianças do Malawi após inundação
Passagem da tempestade ‘Ana’ deixou um rasto de destruição em várias províncias do Norte e Centro de Moçambique
Passagem da tempestade ‘Ana’ deixou um rasto de destruição em várias províncias do Norte e Centro de Moçambique
Crianças do Malawi após inundação
Crianças do Malawi após inundação
Passagem da tempestade ‘Ana’ deixou um rasto de destruição em várias províncias do Norte e Centro de Moçambique
Passagem da tempestade ‘Ana’ deixou um rasto de destruição em várias províncias do Norte e Centro de Moçambique
Crianças do Malawi após inundação
Crianças do Malawi após inundação
Passagem da tempestade ‘Ana’ deixou um rasto de destruição em várias províncias do Norte e Centro de Moçambique
Uma nova tempestade (‘Batsirai’) deverá atingir Moçambique este fim de semana, com algumas províncias em alerta, sobretudo no Norte e Centro, devido ao risco de inundações. Moçambique enfrenta a época ciclónica sazonal e acabou de sofrer graves danos com a passagem da tempestade ‘Ana’ que provocou, pelo menos, 20 mortos, de acordo com o último balanço. Até final de março, entre quatro a seis ciclones deverão atingir a região.

A tempestade ‘Ana’ arrastou pessoas e animais, transformou os campos em lama e danificou mais de 10 mil casas, além de dezenas de hospitais, escolas e infraestruturas elétricas.

Os relatos de mortes multiplicam-se. Em Chingozi, bairro de Tete, entre dois rios, a força das águas esventrou as casas e engoliu moradores. Não deu tempo para nada, tal como recorda Marta Tivane, que viu quatro crianças morrerem afogadas, a poucos metros da sua casa: “A mãe tentou colocar alguns bens a salvo, mas, quando regressou a casa, já estava inundada e não conseguiu agarrar os filhos.”

O risco de inundações continua, sobretudo na província de Sofala, porque as chuvas não pararam e continuam a alimentar as bacias hidrográficas. Governo e ONU estimam que mais de 500 mil pessoas tenham sido afetadas nas províncias de Nampula, Zambézia, Tete, Niassa, Sofala e Manica. São precisos mais de três milhões de euros para auxílio às populações.

88 vítimas mortais no continente africano
A tempestade tropical ‘Ana’ já provocou a morte a pelo menos 88 pessoas no Sul e Leste do continente africano, decorrendo ainda operações de socorro. Madagáscar é, para já, o país mais afetado, contabilizando 48 vítimas mortais, em deslizamentos de terra e desmoronamento de edifícios. Muitas pessoas foram arrastadas pela água. O país declarou estado de calamidade na quinta-feira. No Malawi, o número de mortos subiu para 20. A tempestade atingiu também o Zimbabué, mas não se registaram vítimas.
Moçambique Batsirai Norte Centro Ana Tete Sofala acidentes e desastres desastres meteorológicos inundações
Ver comentários