Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Urnas na Guiné-Bissau já abriram. Guineenses chamados a escolher próximo presidente do País

Eleitores vão escolher entre Domingos Simões Pereira, da PAIGC e Umaro Sissoco Embaló.
Lusa 29 de Dezembro de 2019 às 08:18
Eleições legislativas da Guiné-Bissau, em 2019
Eleições legislativas da Guiné-Bissau, em 2019
Eleições legislativas da Guiné-Bissau, em 2019
Eleições legislativas da Guiné-Bissau, em 2019
Eleições legislativas da Guiné-Bissau, em 2019
Eleições legislativas da Guiné-Bissau, em 2019
As urnas para a segunda volta das presidenciais da Guiné-Bissau abriram este sábado em todo o território nacional, disse fonte da Comissão Nacional de Eleições (CNE) à Lusa.

Mais de 760.000 guineenses são chamados este sábado a escolher o próximo Presidente da Guiné-Bissau, terminando o ciclo eleitoral que teve início em março, com as eleições legislativas.

Os eleitores vão escolher entre Domingos Simões Pereira, apoiado pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), e Umaro Sissoco Embaló, apoiado pelo Movimento para a Alternância Democrático (Madem-G15), que passaram à segunda volta das presidenciais, depois de uma primeira ronda realizada a 24 de novembro.

As urnas vão estar abertas, em todo o território nacional, entre as 07h00 locais (mesma hora em Lisboa) e as 17h00.

A votação vai ser acompanhada por missões de observação internacional da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), União Africana, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Organização da Cooperação Islâmica, Estados Unidos e parlamento britânico.

À semelhança da primeira volta, uma célula de monitorização da sociedade que inclui diferentes organizações vai estar em todo o território nacional para acompanhar as operações voto e apuramento local.

Em 24 de novembro, nenhum dos candidatos conseguiu mais de metade dos votos para ser eleito, com Domingos Simões Pereira a registar 40,13% e Umaro Sissoco Embaló 27,65%.

A taxa de abstenção na primeira volta foi das mais elevadas de sempre no país, situando-se nos 25,63%.

Os primeiros resultados oficiais deverão ser divulgados pela Comissão Nacional de Eleições até quarta-feira.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)